Do básico ao avançado: 18 técnicas de SEO para aumentar seu tráfego orgânico

Erich Casagrande

Jan 12, 202321 min de leitura
Desenho vetorial de pessoa fazendo um teste, representando possíveis técnicas de SEO.

ÍNDICE

Conseguir um melhor posicionamento no Google exige colocar em prática estratégias básicas e avançadas de otimização para o mecanismo de busca. Conheça as principais técnicas de SEO para aumentar o tráfego orgânico do seu domínio aqui!

Saber o que é SEO e sua importância é o primeiro passo para alcançar os primeiros lugares das buscas. Se você já sabe disso, é hora de aprender e começar a aplicar algumas técnicas de SEO para alavancar o tráfego orgânico do seu site e trazer resultados efetivos para o seu negócio.

Na otimização de sites e blogs, aplicar as técnicas de SEO básicas já é um diferencial para o seu site. Poucas páginas realmente se preocupam com isso e sabem como fazer — portanto, apenas algumas estratégias já fazem grande diferença. Mas quem quer se manter no topo, especialmente em mercados competitivos, precisa evoluir para técnicas de SEO mais avançadas.

Por isso, trouxemos neste artigo as principais técnicas de SEO básicas, intermediárias e avançadas, para você aplicar à medida que for amadurecendo a otimização do seu site. 

Acompanhe agora as nossas dicas de SEO, do básico ao avançado!

Técnicas de SEO básicas para começar a otimizar o seu site

Vamos começar pelas técnicas de SEO básicas, que já podem alavancar a posição das suas páginas nos resultados das pesquisas. 

Em geral, elas se referem a ações que você pode fazer nas suas próprias páginas — conhecidas como SEO on page —, sem conhecimentos avançados em programação. Vamos ver agora quais são as principais:

1. Atenda às intenções de busca da persona

Estratégias de SEO começam por conhecer e entender a buyer persona. Vale lembrar: a persona é aquele personagem que representa o seu cliente ideal e descreve seu perfil, comportamentos, interesses e dúvidas, baseado em dados reais sobre o público-alvo da marca.

Quando você entende quais são as reais necessidades da sua persona, você pode traçar quais são as principais dúvidas que os seus conteúdos podem resolver. Essas dúvidas, que as pessoas digitam ao fazer uma pesquisa no Google, representam as suas intenções de busca, ou seja, o que desejam encontrar na web.
Dessa forma, os conteúdos que você produz se tornam mais relevantes para os usuários, já que resolvem os seus problemas.

Outra forma de atender às intenções dos usuários é identificar por qual formato de conteúdo eles buscam. Por exemplo: provavelmente, a melhor resposta para “como pintar parede” deve ser um vídeo. Então, o ideal é criar um conteúdo em vídeo para esse termo de busca.

2. Faça pesquisas de palavras-chave

SEO não se resume mais a palavras-chave. Como dissemos antes, mais importante é entender as intenções de busca da sua buyer persona, para atender às suas dúvidas e necessidades. Assim, você pode entregar aos usuários exatamente aquilo que eles buscam.

No entanto, ainda é importante entender quais termos de busca as pessoas utilizam para encontrar o que desejam. Além disso, você também deve saber os dados de concorrência e tráfego potencial de cada palavra-chave para saber quais devem ser o seu foco.

Para isso, você pode utilizar um gerador de listas de palavras-chave, como Keyword Magic Tool da Semrush, que traz inúmeras ideias de termos que você pode trabalhar. 

No relatório, você pode verificar o tipo de intenção de busca (comercial, informacional, transacional), as tendências de busca pelo termo, a dificuldade de ranqueamento e o custo nas campanhas PPC.
 

print de pesquisa de palavra-chave do semrush

Isso não significa que você deve repetir as palavras-chave exatas ao longo do conteúdo. 

O algoritmo do Google já sabe identificar variações, sinônimos, gírias e erros de escrita para trazer o resultado certo, mesmo que a página não tenha a correspondência exata da palavra-chave buscada pelo usuário.

3. Otimize títulos e heading tags

Outra otimização simples, mas extremamente importante, que você pode fazer no SEO on page é a otimização de títulos e heading tags.

O título da página é um dos principais fatores que o Google analisa para fazer a indexação de uma página. 
Então, crie um título informativo para a sua página, que mostre sobre o que ela trata (preferencialmente com a sua palavra-chave principal), mas também incentive o clique. Lembre-se de que o título pode ser o primeiro contato do usuário com o seu conteúdo.

É importante saber que existem dois títulos que você pode pensar para as suas páginas. Um deles é identificado pela tag <title> no código e corresponde ao título visualizado na página de resultados da busca. 
Já o outro é identificado pela tag <h1>, que é o título que aparece na própria página. Eles podem ser diferentes, então aproveite da melhor forma para cada uso.

Além disso, é importante otimizar a heading tags. Essas marcações no código trazem os intertítulos da página e identificam a hierarquia entre eles (H1 é o mais importante, depois o H2, e assim por diante). 
Uma página com as heading tags identificadas se torna mais organizada para que o Google compreenda seus conteúdos e os indexe corretamente.

A linkagem interna entre as páginas serve para que os usuários visitem outros conteúdos do seu site. Mas, além de melhorar a experiência do usuário, os links internos também ajudam no SEO on page, já que o Google entende melhor as relações entre as suas páginas e a relevância delas para o site.

Então, você pode inserir links internos de diferentes maneiras. Ao longo de um texto de blog, por exemplo, você pode incluir links internos para artigos que explicam melhor um conceito. Atente-se para a posição desses links: no início do texto, eles tendem a ter mais relevância para o Google do que aqueles no meio do conteúdo.

Além disso, links internos podem fazer a conexão entre os posts do blog e as páginas do seu site, e-commerce ou landing pages. Dessa maneira, você direciona os visitantes do blog para as conversões que deseja.

5. Utilize URLs amigáveis

URLs devem ser descritivas. Elas devem informar sobre o conteúdo da página e o que os usuários vão encontrar lá. 

Se você tem uma página que explica o que é marketing digital, uma URL relevante para ela seria esta: www.dominio.com.br/marketing-digital.

Dessa forma, não apenas os usuários podem entender a temática da página, mas também o robô do Google, para fazer uma melhor indexação para essa palavra-chave (no exemplo, “marketing digital”).

Muitos sites ainda utilizam URLs com números e códigos que não dizem nada ao usuário nem ajudam o Google. Geralmente os editores de sites permitem mudar isso facilmente. No Wordpress, é possível editar a Estrutura de Links Permanentes nas configurações do site.

6. Faça SEO para imagens

Se você ainda não otimiza seu site para buscas por imagens, certamente está perdendo ótimas oportunidades para atrair tráfego de uma fonte que muitos dos seus concorrentes sequer consideram.

Quando você faz essa otimização, tem mais chances de aparecer no Google Imagens — ou seja, na aba da busca relacionada a imagens, mas também na própria SERP, quando o buscador entender que a melhor resposta para a consulta do usuário é nesse formato.

Mas por onde começar o SEO para imagens?

Em primeiro lugar, engana-se quem pensa que o SEO para imagens se resume a apenas marcá-las com alt tags. Para além disso, existem inúmeros elementos que você precisa considerar, entre eles:

  • Inserir alt tags de forma descritiva e com a palavra-chave;
  • Renomear o arquivo de forma descritiva e com a palavra-chave;
  • Reduzir o tamanho do arquivo para não atrasar o carregamento da página;
  • Criar o sitemap da imagem;
  • Hospedá-las em um CDN (redes de entrega de conteúdo).

Embora otimizar imagens antigas do seu site possa consumir algum tempo, criar um processo para adicionar e carregar imagens do jeito certo ajuda a evitar a necessidade de retrabalho no futuro.

Youtube video thumbnail

Técnicas de SEO intermediárias para diferenciar o seu site nas buscas

Agora, vamos partir para as técnicas de SEO intermediárias. Acredite: poucas marcas avançam até essas técnicas. 

Portanto, elas têm o poder de diferenciar o seu site dos demais concorrentes na SERP e alavancar as suas posições. Vamos a elas:

7. Invista em RP digital

Se o SEO on page faz parte das técnicas básicas, o SEO off page já pode ser considerado parte das técnicas intermediárias. 

Afinal, exige um trabalho de relacionamento com outros players e não está totalmente sob o seu controle — depende dos links que eles fizerem para as suas páginas.

Quando falamos de RP digital, estamos falando de SEO on page. O trabalho de RP digital procura criar relações com outros sites de autoridade, de maneira que eles criem backlinks para as suas páginas.

Dessa maneira, você conquista tráfego de referência, gera engajamento social e aumenta o brand awareness, além de ganhar autoridade aos olhos do Google. Quando o buscador percebe que você se relaciona com sites relevantes, o algoritmo entende que você é relevante também.

Esse processo envolve criar e promover materiais que gostariam de usar nos seus conteúdos, criando, assim, um link para o seu site.

O RP digital não se trata de promover conteúdos com um release de imprensa. Na verdade, seu foco é promover materiais pelos quais outros sites e veículos de comunicação — por meio do contato com jornalistas, editores e influenciadores — possam se interessar por meio de uma estratégia de outreach.

Esses materiais devem ser ricos, com conteúdos diferenciados, como:

  • Infográficos;
  • Estudos;
  • Ferramentas;
  • Falas de especialistas.

Mas é claro que não é tão simples conquistar backlinks relevantes. Por isso, é interessante contar com um time ou, pelo menos, um profissional de relações públicas para isso.

Youtube video thumbnail

8. Implemente o certificado de segurança SSL

O certificado SSL é um certificado digital que autentica a identidade de um site e permite que os dados sejam criptografados. Dessa forma, você pode ativar o protocolo HTTPS no seu site e, assim, oferecer uma navegação segura aos usuários.

Em 2014, o Google confirmou que sites que passassem a utilizar o SSL/HTTPS seriam beneficiados nos resultados orgânicos. E quem é veterano no SEO sabe que não é sempre que o Google vem a público para informar um fator de ranqueamento. Isso indica que a navegação segura é uma otimização que o buscador considera importante para os rankings.

Não por acaso, a navegação segura passou também a fazer parte dos fatores de Page Experience, uma atualização anunciada pelo Google em 2021. Fazem parte do Page Experience sete sinais de qualidade da experiência do usuário na página, entre eles o HTTPS:
 

infográfico com page experience do google

Hoje, existem várias empresas oferecendo certificados de segurança a preços bem acessíveis e outras são gratuitas, como o caso da Let’s Encrypt e da Cloudflare.

Independentemente de qual você escolher, basta seguir esse passo a passo para uma migração segura e sem riscos de queda de performance orgânica:

  • Fazer o redirecionamento 301 de HTTP para HTTPS em todas as páginas;
  • Testar o site com a ferramenta: https://dev.ssllabs.com/ssltest/;
  • Alterar todos os links do site para HTTPS (requests de scripts, estilos, imagens etc.);
  • Atualizar todas as Tags Canonical para HTTPS;
  • Alterar para HTTPS no Google Analytics (Configurações da propriedade);
  • Criar novo Google Search Console com endereço HTTPS;
  • Criar novo Sitemap com URLs em HTTPS e enviar pelo Google Search Console;
  • Verificar se robots.txt está bloqueando alguma página importante;
  • Integrar o Analytics com o novo Search Console.

9. Tenha um site mobile-friendly

Já não é segredo para ninguém em SEO: ter um site compatível com dispositivos móveis fortalece o seu site para conquistar melhores posições no Google. 

Isso acontece porque o buscador entende que cada vez mais pessoas acessam a web pelo celular e quer que você ofereça uma boa experiência aos usuários mobile.

Em novembro de 2016, o Google anunciou que passaria a considerar o conteúdo da versão mobile de uma página, em vez da versão para desktop, para avaliar a experiência na página e atribuir seu posicionamento. Essa mudança, posteriormente, foi ampliada para todos os novos sites da web.

Em suma, você deve garantir que a experiência mobile seja relevante e sem dificuldades para o usuário. 
Nada de fazer as pessoas sofrerem para clicar em um botão ou esperar carregar uma página. Se os usuários já têm pressa na web, no mobile a velocidade é ainda mais importante.

Para isso, adote a mesma mentalidade do Google: mobile-first. Priorize o desenvolvimento para dispositivos móveis na hora de criar as páginas. 

Designers e desenvolvedores se acostumaram a criar sites para desktop, mas agora a lógica se inverte: se mais pessoas acessam sites pelo celular do que pelo computador, faz sentido criar primeiro a versão móvel.

10. Monitore as estratégias de SEO dos concorrentes

Quanto mais você souber sobre a estratégia de SEO dos seus concorrentes, melhor será o desempenho do seu próprio site. 

Você pode fazer análises, entender quais abordagens funcionam e por que estão dando certo e extrair insights para a sua própria estratégia.

Para começar, é importante encontrar as páginas de melhor desempenho dos seus concorrentes para entender as suas estratégias. Para encontrá-las, você pode usar a ferramenta Pesquisa Orgânica da Semrush. Basta inserir a URL de um de seus rivais.
 

print da pesquisa de concorrentes do semrush

Esta é uma maneira simples de descobrir as páginas que estão direcionando mais tráfego orgânico para sites concorrentes. Mas você precisa analisar ainda por que elas funcionam e como você pode desenvolver uma estratégia que leve parte desse tráfego para o seu site.

Assim, em vez de começar uma estratégia de conteúdo com outras palavras-chave, você pode focar naquelas que têm mais potencial de atrair tráfego e atrapalhar a concorrência.

Outra forma de traçar estratégias com base na atuação dos competidores é identificar para quais palavras-chave eles estão ranqueando — e você ainda não. Existe também uma ferramenta da Semrush para isso: Lacunas nas palavras-chave.
 

print da ferramenta de lacuna de palavras-chave do semrush

Essa ferramenta mostra quais são as principais oportunidades de palavras-chave que você pode trabalhar.
A aba “Ausentes”, por exemplo, identifica para quais termos os seus concorrentes classificam, mas o seu site não. Então, você pode produzir conteúdos otimizados para esses termos e aproveitar a oportunidade de aparecer no ranking e bater a concorrência.

Já nas “Fracas”, estão termos para os quais você tem classificações inferiores em relação aos concorrentes. Então, você pode otimizar seus conteúdos para superar a concorrência na SERP.

11. Otimize os fatores do Core Web Vitals

Core Web Vitals são uma coleção de métricas relacionadas à velocidade, capacidade de resposta e estabilidade visual de um site. 

Elas fazem parte da experiência na página, que incluem também a compatibilidade com dispositivos móveis, a navegação segura e o uso de intersticiais não-intrusivos.

Os fatores de Core Web Vitals, que se tornaram fatores de classificação da página nas SERPs, são os seguintes:

  • Largest Contentful Paint (LCP): o tempo que leva para o conteúdo principal de uma página carregar. Idealmente, deve ser de 2,5 segundos ou mais rápido;
  • First Input Delay (FID): o tempo que leva para que o site responda a uma interação do usuário, devendo ser inferior a 100 milissegundos;
  • Cumulative Layout Shift (CLS): a frequência com que os usuários experimentam mudanças inesperadas no layout. O ideal é que a pontuação seja menor que 0,1.

Perceba que não importa mais apenas a velocidade de carregamento inicial da página, mas também o tempo de resposta às interações e a forma como a página se comporta à medida que carrega.

A medição desses dados é essencial para avaliar a experiência do usuário no seu site, além de indicar melhorias que podem alavancar a sua posição nos resultados das buscas.

Você pode auditar o desempenho dos seus Core Web Vitals de forma rápida e fácil com a ferramenta Auditoria do Site, da Semrush, além de receber recomendações sobre como melhorá-los.
 

print de ferramenta da semrush
Youtube video thumbnail

12. Crie uma estratégia de Topic Clusters

Se o seu site ainda não estiver estruturado com base em grupos de tópicos, você precisa trabalhar nisso. Desenvolver a autoridade em tópicos (ou topical authority) é uma das principais estratégias de SEO e conteúdo atualmente.

Afinal, o Google quer valorizar os sites que dominam o assunto sobre o qual estão publicando. Isso também é parte importante do E.A.T., que prioriza conteúdos e autores com autoridade, confiabilidade e expertise nos seus temas.

Topic cluster é um grupo de conteúdos que gira em torno de um tópico central. Você tem uma página pilar — geralmente mais longa e aprofundada sobre o tópico principal — que funciona como um hub de links internos para páginas satélites — geralmente mais específicas.

No outro sentido, as páginas satélites têm links internos que direcionam para a página pilar. Assim, elas fortalecem a autoridade para o tópico central, mas também recebem o tráfego desta página. Para o Google, significa que você é um especialista naquele assunto.

Você vai entender melhor visualizando este exemplo de cluster para o tópico “SEO”:
 

infográfico com estrutura de topic clusters

Se você tiver apenas um único conteúdo sobre um assunto ou tópico em seu site, isso não indica necessariamente que você é um especialista. Mas, se você apresentar um conjunto de conteúdos relacionados, sua autoridade naquele tópico se fortalece.

Embora a migração do conteúdo de um site para uma estrutura de topic clusters não seja a tarefa mais simples (especialmente se você tiver centenas ou milhares de páginas), é uma tarefa que traz muitos benefícios e pode contribuir a longo prazo também.

Técnicas de SEO avançadas para elevar o nível de otimização do seu site

Agora, vamos ver as técnicas avançadas de SEO. Com elas, você vai elevar o nível do seu site e cair nas graças do Google! 

No entanto, talvez você precise de profissionais especializados para isso, que tenham domínio em programação. Vamos ver agora as principais otimizações:

13. Faça testes de PPC para melhorar o CTR orgânico

O CTR orgânico é a taxa de cliques que o seu site recebe na página de resultados da busca, em relação ao número de visualizações. Quando o Google percebe que a sua taxa de cliques é alta, entende que você entrega o conteúdo que as pessoas querem encontrar.

Então, o CTR é usado como um fator de classificação e deve ser otimizado. O título (title tag) e a meta descrição, que aparecem no snippet da página na SERP, são determinantes para aumentar o CTR orgânico. Rich snippets, que trazem informações extras ao usuário na SERP, também são importantes.

Mas como você sabe qual título e meta descrição são capazes de aumentar o CTR? Testando!

Embora você possa aplicar testes e medição de resultados, isso pode levar muito tempo. Se você não quiser esperar muito pelos resultados, pode aproveitar as campanhas de links patrocinados do Google.

Mesmo se você não estiver executando uma campanha PPC, vale a pena reservar um orçamento e configurar anúncios para um conjunto de páginas. Assim, você pode testar diferentes títulos e meta descrições e identificar quais geram mais cliques e conversões.

Vale notar que, nos anúncios, as title tags e meta descrições são estruturadas de maneira diferente. Mas, mesmo assim, você obterá dados valiosos.

Para definir a melhor title tag, teste pelo menos três títulos diferentes, mas mantenha a descrição igual para cada um. Para determinar a melhor meta descrição, teste pelo menos três, mas mantenha o título igual para cada uma delas. É importante testar uma variável por vez para identificar corretamente o que é responsável pelo bom desempenho.

14. Aproveite o recurso “As pessoas também perguntam”

Os resultados da busca vão muito além dos links que antes ocupavam toda a página do Google. Por isso, profissionais de SEO precisam ajustar suas técnicas e estratégias para aproveitar o maior número possível de recursos da SERP.

Um desses recursos é o quadro “As pessoas também perguntam”:

print da SERP do google com recurso PAA

De acordo com Semrush Sensor, a porcentagem média de SERPs com “As pessoas também perguntam” cresceu mais de 60%, tanto para desktop quanto para dispositivos móveis.

Há vários motivos para prestar atenção a esse recurso, incluindo:

  • Seu site pode classificar duas vezes na primeira página: um resultado no quadro “As pessoas também perguntam” e um link na SERP — isso não acontece com os featured snippets;
  • Seu site aparece com destaque no topo das SERPs, como resposta às perguntas. Mais de 75% das vezes, as perguntas aparecem nos três principais resultados;
  • Eles podem ser acionados como refinamentos de pesquisa para as perguntas que o Google tem dificuldade em interpretar.

Muitos profissionais de marketing não dão a devida atenção a esse recurso. Então, está aí uma ótima oportunidade para obter uma vantagem competitiva. As principais estratégias para conquistar um espaço neste recurso são:

  • Use a ferramenta Monitoramento de posição da Semrush para descobrir quais palavras-chave que você utiliza têm SERP features. Filtre por ‘People also ask’ para entender melhor essas oportunidades;
  • Encontre oportunidades perdidas usando a ferramenta Pesquisa orgânica para ver as pesquisas para as quais você já classifica, mas que não têm resultados no quadro “As pessoas também perguntam”;
  • Utilize a ferramenta de Visão geral de palavras-chave para obter ideias de conteúdos especificamente direcionados às perguntas;
  • Use o SEO Writing Assistant da Semrush para garantir que o texto da página aborde pesquisas realmente feitas pelos usuários.

Vimos como pode ser difícil conseguir backlinks de qualidade. Mas uma ótima estratégia que você pode usar é o link building de links quebrados — uma forma de gerar tráfego para o seu site, aumentar a sua autoridade e ainda ajudar a web a funcionar melhor.

Essa tática se baseia em encontrar links quebrados em outros sites, criar conteúdos que se relacionem àqueles que não existem mais e tentar promovê-los junto aos administradores dos sites onde os links perdidos estavam.

Youtube video thumbnail

 
Na ferramenta Análise de Backlinks, da Semrush, insira o domínio dos sites do seu nicho, clique na aba “Páginas indexadas” e marque a caixa 'Páginas quebradas'.

As páginas que retornam um erro 4XX não recebem link juice pelos links que apontam para elas — ou seja, não há transmissão de autoridade para elas.

Então, ordene a lista por “Domínios” para ver o número de domínios de referência que possuem links para uma página específica. Recomendamos iniciar com essa métrica, pois domínios de referência exclusivos são uma das melhores medidas de sucesso quando falamos de link building. Abra um dos links da lista para confirmar que a página está fora do ar.

Ao clicar em um dos links, você terá acesso a informações específicas sobre essa URL. Clique na guia “Backlinks” e selecione a opção “Follow”.

Esses sites são oportunidades para você entrar em contato e sugerir um conteúdo semelhante para substituir o link quebrado. Talvez você já tenha esse conteúdo publicado ou talvez seja necessário ainda produzi-lo.

Assim, você ajuda o site a corrigir algo que poderia comprometer a experiência do usuário ao mesmo tempo que ganha um backlink e constrói uma relação que pode ser valiosa para as duas partes.

16. Corrija conteúdos de baixo desempenho

Cada página do seu site precisa ter um objetivo e contribuir para a sua autoridade. Então, se você tem conteúdos já publicados no site que não trazem bons resultados, é hora de corrigir esse problema.

Para começar, faça uma auditoria de conteúdo para descobrir essas páginas que estão atrapalhando o restante do seu site. Em uma planilha, identifique os casos mais urgentes — que têm pior posição na SERP ou que recebem menos backlinks, por exemplo — e comece por eles. Você pode tomar as seguintes decisões:

  • Manter (se a página está trazendo bons resultados, nenhuma ação é necessária);
  • Melhorar (fazer edições e atualizações para melhorar o desempenho da página);
  • Consolidar (duas ou mais páginas são consolidadas em uma única página, e uma delas é eliminada com um redirecionamento 301).

Para fazer atualizações, é importante trazer tendências e fatos atuais, inserir respostas para perguntas que estão gerando tráfego para a página e, é claro, revisar todo o texto para evitar erros.

Essa é uma tarefa que a maioria dos sites precisa executar uma ou duas vezes por ano, dependendo da quantidade de conteúdo publicado.

Featured snippets são trechos em destaque da sua página que aparecem logo abaixo da barra de busca, acima dos demais resultados orgânicos e pagos. Eles procuram trazer uma resposta pronta para as dúvidas dos usuários.

Ter uma página no box de featured snippets significa oferecer a melhor resposta ao usuário. Sim, pode ser que a pessoa sequer acesse o seu site, pois muitas vezes já obtém a resposta que queria. Mas são grandes as chances de ela buscar mais informações na sua página — portanto, uma grande oportunidade de ganhar visibilidade e tráfego orgânico.

É importante saber também que, quando a sua página conquista a posição zero, não aparece mais na sequência de links orgânicos da SERP. Ainda assim, você está à frente dos demais resultados, o que tende a atrair mais cliques.
 

print da SERP do google com pesquisa

Como, então, otimizar páginas para aparecer em featured snippets? Primeiramente, selecione aquelas páginas que já aparecem entre os 10 primeiros resultados da SERP. Então, adote as seguintes medidas:

  • Crie um texto sucinto e escaneável;
  • Escreva parágrafos de 40 a 60 palavras;
  • Use listas numeradas ou não numeradas;
  • Priorize listas com mais de 9 itens;
  • Use tabelas com 4 colunas ou mais;
  • Identifique claramente as heading tags.

Nada disso garante que você apareça na posição zero. Mas essas medidas aumentam a chance de que isso aconteça, já que o Google pode entender melhor o seu conteúdo e adaptá-lo ao formato de snippets.

18. Corrija as páginas com Erro 404

Se você tiver links apontando para páginas 404 em seu site, eles não estão ajudando no ranqueamento. Eles estão apenas sendo ignorados pelo Google, já que não levam a lugar algum, além de oferecerem uma má experiência ao usuário, que não encontra o que procurava.

É comum que os sites tenham muitos links de autoridade que poderiam ajudá-los a ranquear bem, mas que apontam para páginas mortas. Isso acontece ao longo do tempo em um site, porque as páginas mudam de URL, são eliminadas ou nunca foram redirecionadas.

Por outro lado, se você corrigir os erros 404, pode voltar a gerar autoridade para a página, receber tráfego orgânico e oferecer uma melhor experiência aos usuários.

Para isso, você pode utilizar a ferramenta Análises de Backlinks da Semrush, que identifica quais páginas estão com erro para você arrumar. Digite seu domínio na ferramenta e vá para a aba “Páginas indexadas”, certificando-se de marcar a caixa “Páginas quebradas”.

Estas são páginas com links, mas que não estão passando nenhuma autoridade (link juice) porque estão mortas. Então, você pode corrigir os erros com redirecionamentos 301 (que leva o usuário da página com erro até a página correta) ou re-lançando a página com a mesma URL.

Enfim, essas são 18 técnicas de SEO que você pode aplicar no seu site. Das dicas mais básicas, que muitas delas você até já deve aplicar, até as avançadas, que exigem um pouco mais de conhecimento, você pode agora evoluir nas suas otimizações e alcançar o topo do Google.

Agora, quem quer focar em conteúdo certamente vai gostar do Curso de SEO com base em conteúdo com Brian Dean, especialista em SEO e fundador da Backlinko. Inscreva-se gratuitamente e aproveite as aulas!

Compartilhar
Author Photo
Trabalho como Marketing Manager Lead da Semrush no Brasil e sou responsável pelas ações de marketing que envolvem a marca em diferentes canais. Sou apaixonado por comunicação e por aprender cada vez mais sobre o universo do Marketing Digital.
Mais sobre isso