O que são as Meta Tags, como devem ser usadas e de que forma impactam o SEO

Connor Lahey

Out 13, 20229 min de leitura
Imagem vetorial com pessoa sentado em banco, vendo um livro, com computador à frente
Compartilhar

ÍNDICE

As meta tags são elementos HTML que descrevem o conteúdo das páginas, para os mecanismos de busca. Meta description e robots são alguns dos tipos desses elementos. Saiba mais aqui! 

Por trás do que vemos nas páginas da web, existe uma infinidade de códigos que fazem elas funcionarem. Nas estratégias de SEO, os códigos são essenciais não só para a funcionalidade do site, mas também para orientar o robô do Google enquanto ele rastreia as suas páginas.

Entre esses códigos, estão as meta tags, que enviam informações sobre as páginas aos mecanismos de pesquisa. Assim, eles identificam como devem exibir determinados elementos ou como os robôs devem se comportar.

Neste artigo, vamos explicar o que são meta tags para você entender melhor sobre o que estamos falando. Você vai saber quais são as principais e a sua importância nas estratégias de otimização para o Google. Acompanhe agora para saber tudo!

O que são Meta Tags?

Meta tags são comandos inseridos no código HTML que transmitem informações sobre uma página aos navegadores e mecanismos de busca. Elas devem ser incluídas na seção <head> para que os navegadores e robôs consigam encontrá-las e compreendê-las.

Preencher e otimizar meta tags são ações de SEO técnico, que está relacionado às operações de rastreamento e indexação pelos robôs. Quando se usam as meta tags, o buscador consegue entender melhor as páginas durante esses processos.

Existem ainda outras tags do código, como a Title Tag e as Heading Tags, que também são importantes no SEO. Porém, elas se referem a determinados elementos da página. 

O prefixo meta, como em outras palavras (metalinguagem, por exemplo), é usado para se referir a si mesmo — nesse caso, sobre a própria página.

Qual a importância de Meta Tags para SEO?

As meta tags já foram imprescindíveis para a otimização de sites. Nos primórdios do SEO, utilizar meta keywords, que indicam as principais palavras-chave da página, era o caminho do sucesso: bastava incluí-las no HTML para posicionar sua página nas buscas por aqueles termos.

Porém, esse uso se tornou exagerado. Muitos proprietários de sites abusaram da otimização de meta keywords e utilizavam o que passou a ser considerado black hat: o keyword stuffing. Essa prática consiste no uso excessivo de palavras-chave na página, inclusive nas meta tags, com a intenção de manipular os algoritmos de pesquisa.

Por isso, o Google passou a desconsiderar as meta keywords na avaliação de uma página para o ranking da busca. Porém, muitos profissionais entenderam esse recado do Google como um sinal de que as meta tags, em geral, não importavam mais para o buscador. Mas não é bem assim.

Ainda existem meta tags que podem e devem ser usadas. Elas são importantes para organizar e transmitir determinadas informações sobre as páginas ao Google. Dessa maneira, o Googlebot pode entender melhor como deve se comportar enquanto rastreia e indexa o conteúdo.

Se o rastreamento e a indexação se tornam mais eficientes, significa também que o usuário tende a ter uma melhor experiência da busca, já que vai receber resultados mais relevantes nas suas pesquisas.

Quais são as principais Meta Tags usadas no SEO?

Existem diversas meta tags para incluir no HTML das suas páginas. Mas, pensando em SEO, é importante focar naquelas meta tags que o Google entende e que fazem a diferença para a leitura do site pelos robôs.

Então, vamos focar nas duas meta tags que mais importam para a sua estratégia de SEO: description e robots. Perceba que a Title Tag e as Heading Tags não são meta tags — são apenas marcações no código que estruturam os elementos da página.

Meta description

A meta description é uma breve descrição sobre o conteúdo de uma página, que costuma aparecer no resumo dos links orgânicos nos resultados da busca.

print da SERP com um exemplo de meta description

A intenção do buscador é que o usuário tenha uma noção sobre o que vai encontrar na página antes de clicar no link. Então, é indicado que esse texto seja informativo e atrativo para o usuário, de maneira que estimule a pessoa a clicar.

Em termos de SEO, é importante saber que o Google já revelou: a meta description não é um fator de rankeamento do algoritmo de busca. Isso significa que não há uma forma direta de influenciar a classificação usando palavras-chave nessa descrição.

Por outro lado, otimizar a meta description com um bom texto para os usuários é uma forma de atrair o clique na página de resultados da busca e aumentar o tráfego orgânico para o site.

Além disso, se você inserir a palavra-chave na descrição, ela aparece em negrito no snippet quando coincidir com os termos pesquisados pelo usuário, o que chama mais atenção para o clique.

Apesar disso, nem sempre o Google utiliza a meta description no snippet da página de resultados. Se o buscador entender que outro trecho do site descreve melhor o conteúdo que o usuário busca, é isso que vai aparecer na busca, mesmo que você tenha definido uma meta descrição.

De qualquer forma, vale a pena configurar essa meta tag nas suas páginas. Se a descrição que você criar for boa e relevante para a busca do usuário, o Google vai usar.

Robots

A meta tag robots é um conjunto de orientações para controlar como os robôs dos mecanismos de busca rastreiam e indexam as páginas do site. Essa meta tag contempla uma série de diretivas que você pode incluir no código. Estas são as principais:

  • noindex: não mostrar a página, mídia ou recurso nos resultados da pesquisa;
  • nofollow: não seguir os links da página para descobrir novos conteúdos;
  • none: equivale a noindex e nofollow juntos;
  • noarchive: não guardar o cache da página nem exibi-lo nos resultados da pesquisa;
  • nositelinkssearchbox: não exibir o box de busca do site nos resultados da pesquisa;
  • nosnippet: não exibir um snippet de texto ou vídeo nos resultados da pesquisa;
  • notranslate: não oferecer a tradução da página nos resultados da pesquisa;
  • noimageindex: não mostrar as imagens da página nos resultados da pesquisa;
  • unavailable_after: [date/time]: não exibir a página nos resultados da pesquisa a partir da data/hora especificada.

Uma curiosidade é que a meta tag robots se comunica com os robôs de qualquer motor de busca. Mas, se você usar o valor “googlebot” em vez de “robots”, a instrução é lida apenas pelo robô do Google.

Existem ainda robôs específicos dentro do Google, como o “googlebot-news” e o “googlebot-image” — com essas diretivas, você pode se comunicar apenas com os robôs do Google Notícias e do Google Imagens, respectivamente.

Perceba que a meta tag robots deve ser incluída no HTML de cada página, para que você controle a indexação e o rastreamento individualmente, como mostrado abaixo:

<meta name="robots" content="noindex"/>

Não confunda com o arquivo robots.txt, que define quais URLs do site podem ser acessadas pelo robô. O papel do robots.txt é evitar a sobrecarga de rastreamento do site com páginas semelhantes ou informações sem importância. É importante não usar esse arquivo para retirar uma página dos resultados da pesquisa, o que deve ser feito com a meta tag robots e a diretiva noindex.

Meta keywords: devem ser usadas?

Dúvidas sobre meta keywords ainda existem, então vale a pena esclarecer: o Google não considera mais as meta keywords. Então, não vale a pena se preocupar com elas.

Neste artigo da Central de Pesquisa do Google, datado ainda de 2009, o buscador explica claramente que ignora a meta tag keywords nos resultados da pesquisa. Além disso, na página que explica as meta tags que o Google entende, keywords sequer aparece. Então, não perca tempo com isso.

Outras Meta Tags

Existem ainda outras inúmeras meta tags que você pode usar para se comunicar com os robôs. É interessante saber mais algumas:

  • Viewport: informa ao navegador como renderizar a página em dispositivos móveis. É uma meta tag essencial para o design responsivo, geralmente configurada automaticamente nos editores de sites.
  • Refresh: usada para atualizar a página automaticamente depois de um tempo aberta ou redirecionar o usuário para outra página automaticamente. Porém, nenhuma dessas diretivas é recomendada pelo Google, já que tiram o controle do usuário sobre a sua navegação.
  • Rating: sinaliza ao SafeSearch do Google sobre conteúdo adulto, de maneira que a página seja filtrada nos resultados da pesquisa.

Como visualizar as Meta Tags?

As meta tags não são visíveis para o usuário na interface do site, mas é possível encontrá-las. Para visualizar as meta tags, é preciso abrir o código-fonte de cada página e procurá-las na <head>.

Não há qualquer mistério para fazer isso. Basta clicar com o botão direito na página que você está visitando e selecionar a opção “Exibir código-fonte da página” (ou algo semelhante). Você também pode usar o atalho no Windows (Ctrl + U) ou no Mac (Command + U).

Como funcionam as Meta Tags?

Meta tags estão inseridas no código da página e podem assustar um pouco se você não entende nada de programação. Mas é só analisar com um pouco mais de atenção para ver que não é complicado. Elas aparecem assim:

<meta name="description" content="Aqui está a descrição da página." />
<meta name="robots" content="noindex" />

Essa linha de código deve estar inserida no documento HTML da página, dentro da <head>. Basicamente, a estrutura fica assim:

<!DOCTYPE html>
<html><head>
<meta name="robots" content="noindex">
(…)
</head>
<body>(…)</body>
</html>

As meta tags do HTML são formadas por atributos, cujo comportamento é definido pelos valores (ou diretivas). No exemplo abaixo, “description” é o valor do atributo “name”. Isso significa que aquela meta tag vai trazer a descrição da página. O texto da descrição, então, é o valor do atributo “content”.
 

<meta name="description" content="Aqui está a descrição da página." />

Perceba que, na meta tag robots, é possível preencher o atributo “content” com mais de uma diretiva. Você pode fazer isso separando os valores por vírgulas ou utilizando mais de uma meta tag:

<meta name="robots" content="noindex, nofollow">

Ou:

<meta name="robots" content="noindex">
<meta name="robots" content="nofollow">

Como usar Meta Tags?

Para usar as meta tags, você precisa editar o código-fonte das suas páginas e inserir as tags na seção <head>.

Se você tiver conhecimento técnico para isso, pode fazer a edição diretamente no HTML. Mas o mais comum é usar as ferramentas dos editores de CMS (Content Management System), como Wix, Blogger e Wordpress.

Eles costumam ter uma página de configurações com melhor usabilidade para os usuários leigos, que não têm conhecimento em programação. Assim, você pode modificar facilmente o HTML com os comandos que deseja para as meta tags.

Quais ferramentas usar para conferir as Meta Tags?

Uma simples visualização do código-fonte permite conferir as meta tags de cada página. Você pode usar a função de localizar (Ctrl+ F ou Command + F) para encontrar as meta tags no HTML. Mas algumas ferramentas também podem ajudar você a analisar as meta tags:

Google Search Console

Utilize a Ferramenta de Inspeção de URL para saber se o Google consegue acessar o conteúdo da sua página. Em alguns casos, o robô não consegue acessar por causa da diretiva “noindex” da meta tag robots. Nesse caso, a ferramenta vai apontar o que está causando o erro.

print do Google Search Console em URL com a tag "noindex"
Créditos: Developers Google

Semrush

Utilize a ferramenta de auditoria de SEO da Semrush para identificar quais páginas estão sem meta description ou quais têm descrições duplicadas. A partir do relatório, escreva uma meta description única para cada página.

print da ferramenta de SEO audit da semrush

Meta tags já tiveram mais importância no passado, mas ainda são relevantes para o SEO e a experiência do usuário no seu site. Utilize-as como uma forma de se comunicar com os buscadores e orientá-los sobre como devem exibir e indexar as suas páginas.

Agora, aproveite para ler o nosso Guia Completo sobre SEO On-Page, que vai ajudar você a otimizar suas páginas e trazer ainda mais tráfego e conversões para o seu site. Aproveite!

Compartilhar
Author Photo
Content strategist, SEO and writer. Enjoys monitoring SERP volatility. You can find me reading Tolkien in the far north of Norway.
Mais sobre isso