Tudo sobre o que é PageRank e como ele funciona

Erich Casagrande

Sep 10, 202014 min read
Google PageRank

Volte no tempo e o PageRank era a métrica de SEO mais falada. Se você trabalha com SEO há alguns anos, com certeza se lembra da animação sempre que o PageRank era atualizado na Google Toolbar.

Com alguma sorte, seus últimos esforços teriam gerado um aumento na pontuação do PageRank, e você sabia que isso significava que o Google agora via seu site com mais autoridade do que antes.

Um aumento na sua pontuação do PageRank era um grande indicativo de que sua estratégia de SEO e, mais especificamente, sua estratégia de link building estava funcionando. 

Mas os tempos mudaram e agora em 2020, o PageRank raramente é mencionado. Nem por isso ele deixou de ser importante, o ponto é que não é mais uma métrica disponível para o público. E quando um SEO não pode mais medir alguma coisa, eventualmente não se falará mais dela.

Neste guia, vamos detalhar tudo o que você precisa saber sobre o Google PageRank e sua importância em 2020.

O que é o PageRank?

Se você lembra do PageRank, provavelmente o que vem à cabeça quando pensa nele é:

PageRank ToolbarImage Credit: Softpedia

Essa é uma imagem da barra de ferramentas conhecida como Google Toolbar e ali podia-se ver o PageRank. De modo geral, o PageRank é uma métrica utilizada para indicar a relevância do seu site e tal fator é considerado como um dos pontos de ranqueamento na hora da apresentação nos resultados de busca.

PageRank: um sistema de ranqueamento de páginas

O PageRank é um sistema de ranqueamento de páginas que os fundadores do Google Larry Page e Sergey Brin desenvolveram na Universidade de Stanford. E o importante a ser compreendido sobre o PageRank são os links.

Quanto mais alto é o PageRank de um link, mais autoridade ele tem. Podemos simplificar o algoritmo para descrevê-lo como uma forma de avaliação da importância de uma página ao analisar a quantidade e qualidade dos links que direcionam para ela.

A pontuação do PageRank

O PageRank atribui uma pontuação de relevância a uma página na web na escala de 0 e 10. De modo prático, a pontuação do PageRank de 0 normalmente representaria um site de baixa qualidade, ao mesmo tempo que, por outro lado, uma pontuação de 10 representaria apenas os sites com mais autoridade da web. 

Mas não se engane, esse cálculo é bastante complexo, e para o Google há várias casas decimais após cada número inteiro, além de envolver uma escala logarítmica. Não tem certeza do que isso significa?

Uma escala logarítmica é uma forma de exibir dados numéricos relacionados a uma ampla variedade de valores de forma compacta. Normalmente, os números maiores nos dados são centenas ou até mesmo milhares de vezes maiores do que os números menores.

— Wikipedia

Ou seja, isso quer dizer que a diferença entre 1 e 2 é bem menor que a diferença entre 7 e 8, por exemplo.

Conforme relatado pelo Search Engine Watch, "Sua base estimada é de 4 a 5. Em outras palavras, assumindo uma base de 5, os links de PR2 são comparáveis a 5 links de PR1; um link PR6 é comparável a 5 links PR5 e assim por diante." Muito rapidamente, podemos ver que um link PR10 é comparável a milhares de links PR1. 

O motivo para os profissionais de SEO terem ficado obcecados com essa métrica é o fato de o PageRank ser repassado de uma página para a outra, o que significa que um site pode ganhar autoridade sendo vinculado a outro que tenha uma pontuação do PageRank mais alta.

Simplificando, o PageRank (repassado entre sites por links) ajuda um site a ter um ranqueamento mais alto e o algoritmo é baseado no conceito de que uma página será importante se outras páginas importantes tiverem um link para ela.

O Google ainda usa o PageRank como parte de seu algoritmo atual, mas a patente original já expirou e, na sua forma original, não é usada desde 2006. O que vemos agora é uma forma muito mais complexa.

Uma breve história do Google PageRank

primeira patente do PageRank foi apresentada em 1º de setembro de 1998 e se tornou a métrica original utilizada pelo Google para calcular a importância de uma página e classificá-la. 

Em suma, o Google foi criado literalmente com base na ideia de Sergey Brin de que as informações na Web poderiam ser classificadas com base na popularidade do link, levando em conta o número e relevância das páginas que apontam para esse determinado link.

E, se analisarmos o artigo que apresentou o Google, podemos ver claramente a referência ao PageRank quando os recursos do mecanismo de pesquisa são explicados:

O mecanismo de pesquisa do Google tem dois recursos importantes que o ajudam a produzir resultados de alta precisão. Primeiro, ele usa a estrutura de link da Web para calcular um ranqueamento de qualidade para cada página. Esse ranqueamento é chamado de PageRank e é descrito em detalhes na [Página 98]. Segundo, o Google utiliza links para melhorar os resultados de pesquisa.

— The Anatomy of a Large-Scale Hypertextual Web Search Engine (A anatomia de um mecanismo de pesquisa da Web hipertextual em larga escala) — Sergey Brin e Lawrence Page

O PageRank é literalmente o que tornou o Google algo único. O artigo continua explicando que: "O gráfico de citação (link) da Web é uma fonte importante que em sua maioria não é utilizado nos mecanismos de pesquisa da Web."

O lançamento da Google Toolbar

Em 2000, o Google lançou a barra de ferramentas que conhecemos como Google Toolbar e lembramos como a forma na qual podíamos checar o PageRank do nosso site e também ver informações sobre os concorrentes.

Como resultado disso, SEOs passaram a se fixar apenas em aumentar o PageRank como métrica para melhorar ranqueamentos, sendo orientados em sua maioria por um entendimento simplificado de que com o número mais alto de links, o seu site deveria ter o ranqueamento mais alto. 

Uma explicação simples da abordagem de muitos no início dos anos 2000 é que sua meta era ter o maior número possível de links de páginas da Web com o PageRank mais alto possível. É claro que isso levou à manipulação do PageRank, com dinheiro sendo trocado por links assim como o que muitos de nós lembramos com link farms

Quase 15 anos depois, o Google interromperia a atualização dessa barra de ferramentas pública em 2014 (com a última atualização confirmada sendo de dezembro de 2013) e a aposentaria completamente em 2016. 

É claro, isso não significa que o Google parou de usar o PageRank como parte de seu algoritmo, mas ele não é mais uma métrica disponível ao público.

Uma patente atualizada do PageRank

A patente original do PageRank de 1998 expirou em 2018 e, para a surpresa de muitos, não foi renovada. Perto dessa época, um antigo funcionário do Google confirmou que o algoritmo original não era usado desde 2006.

Mas isso não significa que o PageRank está morto, longe disso.

A patente original foi substituída por esta nova. Para compreender completamente o que a difere da original, recomendamos que leia a análise de Bill Slawski aqui.

Essa nova patente faz referência a "sites sementes em conjuntos de semente confiáveis" e os define como "...páginas de alta qualidade especialmente selecionadas que fornecem boa conectividade da Web a outras páginas não semente", e oferece dois exemplos: o Diretório do Google (que ainda estava online quando a patente foi apresentada) e o New York Times.

"[Sites semente] precisam ser confiáveis, com diversidade suficiente para cobrir uma ampla variedade de campos de interesse público e terem boa conexão a outros sites. Eles devem ter grandes números de links úteis para outros sites para facilitar a identificação de outras páginas úteis e de alta qualidade, agindo como "hubs" na Web."

A nova patente buscava atribuir uma pontuação de ranqueamento a uma página da Web com base em sua distância de um conjunto semente. Dito isso, essa patente não faz de fato referência ao PageRank.

Em vez disso, a comunidade de SEO entendeu que ele age como um modificador do PageRank baseado na proximidade ao conjunto de sites semente. 

Google PageRank gráfico

Entenda como funciona o PageRank

Todos os profissionais de SEOs e, principlamente aqueles que trabalham com a criação de links, deveriam entender em detalhes o PageRank. Nem que seja apenas para explicar o motivo pelo qual os links ainda são um dos 3 principais fatores de ranqueamento do Google.

Mas como é calculado o PageRank?

Quando a patente foi apresentada e o algoritmo inicial do Google desenvolvido, ele era baseado na teoria de que o link de um site para outro agia como um voto de confiança e autoridade. E, portanto, quanto mais links (votos) apontam para uma página, mais se deve confiar nela e consequentemente seu ranqueamento ser mais alto.

Mas, conforme definido no artigo original, "o PageRank amplia essa ideia ao não contar links de todas as páginas igualmente, e ao normalizar o número de links em uma página."

Um link não corresponde a um voto diretamente. A autoridade de uma página é levada em consideração. Um link de uma página com PageRank 6 tem, essencialmente, um voto de mais autoridade do que de uma página com PageRank 2.

E esse fluxo de PageRank entre as páginas às vezes é chamado pelos profissioansi de SEO de "link juice".

Mas vamos analisar os cálculos por trás do PageRank:

"Supomos que a página A tenha páginas T1...Tn que apontam para ela (ou seja, citações). O parâmetro d é um fator de amortecimento que pode ser definido entre 0 e 1. Normalmente, definimos d como 0,85. A próxima seção traz mais detalhes sobre o d. Além disso, C(A) é definido como o número de links que saem da página A. O PageRank de uma página A é atribuído da seguinte forma:

PR(A) = (1-d) + d (PR(T1)/C(T1) + ... + PR(Tn)/C(Tn))

Observe que os PageRanks formam uma distribuição de probabilidade sobre as páginas da Web, então a soma de todos os PageRanks das páginas da Web será um."

O que isso significa, em termos mais simples, é que o PageRank da Página B é calculado ao multiplicarmos o PageRank da Página A por 0,85. Isso é conhecido como fator de amortecimento.

Depois, se a Página B tem um link para a Página C, essa última recebe 85% do PageRank da B (72,25% da Página A). Se uma página da Web não tem nenhum link que aponte para ela, essa página não começa com um PageRank 0, e sim 0,15.

Mas tudo fica ainda mais complicado quando há mais de um link externo em uma página.

Como é mencionado neste post de 2004 no Search Engine Roundtable:

Se você colocar um link da página A para a página B, a página A distribuirá PageRank para a página B. O PageRank da Página A não é diluído por fazer o link externo, mas os links valem menos, no que concerne o valor do PageRank, quando há mais links na página A.

— Barry Schwartz

O PageRank é complexo, e para entender como ele funciona em mais detalhes, confira este guia detalhado que oferece uma introdução ao PageRank para SEO.

Fatores que influencia(ra)m o PageRank e que ainda importam

É claro que há e sempre teve alguns fatores que influenciam o PageRank. O importante desse ponto é entender que assim como quando isso era uma métrica pública, algumas técnicas de SEO que ajudavam a melhorar o PageRank, continuam sendo relevantes.

Já falamos que nem todos os links são considerados igualmente em termos do PageRank que transmitem. Mas quais são alguns dos fatores que podem influenciar (e assim o faziam no passado) o PageRank?

Analisaremos especificamente:

  • Texto âncora
  • A probabilidade de ser clicado
  • Links internos
  • Links nofollow

É necessário entender não apenas o que são esses fatores influenciadores, mas também como eles se aplicam ao SEO em 2020, quais você precisa usar e quais deve evitar de acordo com a estratégia que escolher.

Texto âncora

O artigo original do Google fazia referência ao texto âncora do link afirmando que: "O texto de links é tratado de forma especial pelo nosso mecanismo de pesquisa" e que "muitas vezes, âncoras fornecem descrições mais precisas de páginas da Web que as páginas em si."

No início do Google, o texto âncora tinha influência determinante no ranqueamento de uma página. Se você quisesse se posicionar com o termo "sapatos vermelhos", quanto mais links que usassem esse termo como texto âncora você tivesse, mais alta poderia ser seu ranqueamento.

Link building passou a ser uma corrida entre os SEOs para saber quem ganharia o maior número de textos âncora com correspondência exata possível de páginas com PageRank alto. 

Funcionou (por algum tempo), mas era uma clara manipulação das diretrizes para webmasters do Google e isso, especificamente, é considerado um esquema de links.

Voltando para 2020, o uso excessivo de manipulação de textos âncora resulta em links nocivos e em uma penalização manual em potencial ou ajuste de algoritmo. Então, cuidado.

A probabilidade de um link ser clicado é uma das principais influências do PageRank e é mencionada na patente de "surfista razoável" do Google.

O algoritmo original do PageRank atribuía um peso igual aos links em uma página. Já a patente de surfista razoável de 2004 indica que nem todos os links têm a mesma probabilidade de serem clicados que outros e por isso atribui um valor diferente a links diferentes, de acordo de seu potencial de ser clicado. 

Um exemplo de links que tem menor probabilidade de serem clicados inclui links de "termos de serviço" e anúncios em banners, assim como links no rodapé da página ou em um local parecido.

Links internos são uma tática de SEO poderosa, e há um bom motivo para isso.

Você pode ajudar o PageRank a fluir pelo seu site com uma estrutura de links sólida, e assim que você entender como isso funciona, será fácil ver o motivo pelo qual essa tática pode ter um impacto perceptível, principalmente ao ter links para páginas que não receberam links de nenhum outro site. 

Você pode saber mais sobre como usar essa tática de forma eficiente em nosso guia para links internos.

Links nofollow impedem (ou impediam) o fluxo do PageRank até recentemente quando isso se tornou uma dica. 

Historicamente, os profissionais de SEO às vezes usavam o atributo nofollow para esculpir o fluxo do PageRank se baseando na lógica de que se uma página tinha cinco links externos, o PageRank passaria pelo link follow se quatro dos cinco fossem nofollow. 

Em 2009, no entanto, Matt Cutts do Google confirmou que isso não funcionaria mais e que o PageRank seria distribuído por links mesmo se um atributo nofollow estivesse presente (mas que só passaria o link follow).

Saiba mais sobre links no follow, patrocinados e UGC

Por que o Google retirou a barra de ferramentas do PageRank?

Quando o PageRank era um métrica aberta ao público, ele rapidamente se tornou uma das táticas de SEO com mais concentração, acima até mesmo da criação de bom conteúdo e de experiência do usuário sólida.

O problema era que ao compartilhar publicamente a pontuação do PageRank, os profissionais do marketing digital tinham mais facilidade para manipulá-lo, além de influenciarem fatores como texto âncora, nofollow e o modelo de surfista razoável.

Se analisarmos isso da perspectiva do Google, o problema era a barra de ferramentas do PageRank disponível ao público. Sem ela, não haveria avaliação precisa da autoridade de uma página da Web (pelo menos não oficialmente).

No fim, com tanta gente abusando das informações que o PageRank disponibilizava e usando para manipular classificações, o Google ficou sem outra alternativa a não ser aposentar a barra de ferramentas, o que aconteceu em 2016. 

Por que o PageRank ainda importa em 2020

O PageRank não deve ser considerado como um métrica determinante na sua estratégia de SEO, até porque atualmente apenas o Google sabe exatamente como ele funciona, mas com certeza ele ainda é importante em 2020. 

Só porque não há mais uma barra de ferramentas que informa a pontuação de uma página não significa que ela não seja mais usada. Na verdade, em 2017, Gary Illyes do Google confirmou no Twitter que o PageRank ainda é usado.

O PageRank nunca se foi, e entender como ele funciona só ajuda você a melhor sua posiçãp Se você ainda não leu o artigo original do Google, deveria.

Como saber o PageRank?

O Google nunca lançou oficialmente uma nova versão da Toolbar. Portanto não é possível avaliar o PagaRank com uma ferramenta. Uma série de plataformas e ferramentas de software de SEO lançaram suas próprias métricas de autoridade, e a SEMrush tem sua própria "Authority Score".

authority score semrush

O Authority Score é uma pontuação de domínio composta que classifica a qualidade geral de um site e informa o impacto que o backlink de um site pode ter no seu SEO. Ela é baseada em:

  • Dados de backlink, incluindo domínios de referência, links follow e nofollow e mais.
  • Dados de pesquisa orgânica, incluindo tráfego de pesquisa orgânica e posições de palavra-chave.
  • Dados de tráfego de site (visitas mensais).

É claro, essa métrica usa os dados de backlink como parte do algoritmo de pontuação, mas sua intenção não é substituir diretamente o PageRank. Métricas de terceiros não são usadas no algoritmo do Google. Mas ainda assim têm como objetivo ajudar você a avaliar a autoridade relativa de um site em comparação a concorrentes e outros sites na Web.

Lembre-se o PageRank não morreu. Podemos não ter mais sua barra de ferramentas, mas isso não significa que não precisamos entender como ele funciona e os fatores que o influenciam.

É sempre importante aliar em qualquer estratégia de SEO a criação de conteúdo e informação para o usuário e nao apenas para os mecanismos de busca. Quando o PageRank era público, houve um foco demasiado em atender apenas aquela barra de classificação do Google.

Por isso há quem diga quem foi até bom essa métrica não ser mais pública, já que isso contribuiu em uma mudança que significa, em sua maioria, que o setor não depende de táticas de manipulação. 

Esse conteúdo foi originalmente publicado em inglês e adaptado para português.

Author Photo
Erich CasagrandeTrabalho como Marketing Manager Lead da Semrush no Brasil e sou responsável pelas ações de marketing que envolvem a marca em diferentes canais. Sou apaixonado por comunicação e por aprender cada vez mais sobre o universo do Marketing Digital.
Subscribe to learn more about SEO Básico
By clicking “Subscribe” you agree to Semrush Privacy Policy and consent to Semrush using your contact data for newsletter purposes