PageSpeed Insights: um guia para melhorar a velocidade do site

Jéssica Lipinski - tradução e conteúdo

Nov 29, 202215 min de leitura
Imagem vetorial mostrando um capelo com uma engrenagem em cima
Compartilhar

ÍNDICE

O Google PageSpeed Insights é uma ferramenta usada para medir a velocidade de um site. Contar com uma boa nota é essencial para garantir a experiência do usuário e não perder conversões.

Velocidade importa. Na época em que vivemos, alguns segundos de demora já tiram a paciência e fazem as pessoas desistirem do que estavam fazendo. Para os sites de empresas e lojas virtuais, isso significa perda de clientes e prejuízo de imagem.

É por isso que o maior buscador do mundo disponibiliza uma ferramenta para analisar e otimizar a velocidade do seu site: o Google PageSpeed Insights. O Google quer oferecer a melhor experiência de busca aos usuários — e isso inclui o acesso a páginas que carregam rapidamente. Por isso, incentiva que os sites melhorem a sua performance de carregamento.

O Google PageSpeed é uma das ferramentas mais populares para isso, já que é gratuita e oferece um diagnóstico sobre a velocidade das páginas, além de uma série de recomendações para melhorar o desempenho.

Neste artigo, você vai saber tudo sobre essa ferramenta e como melhorar a velocidade do seu site para conseguir nota máxima no teste. Acompanhe agora para entender como usar!

Youtube video thumbnail

O que é o Google PageSpeed Insights?

Google PageSpeed Insights é uma ferramenta gratuita que serve para analisar o desempenho de sites em relação à sua velocidade de carregamento.

A ferramenta foi criada pelo Google e apresentada no Google I/O 2010, a conferência anual de desenvolvedores da empresa. Desde então, popularizou-se entre profissionais de SEO e desenvolvimento, já que oferece recomendações para melhorar a performance dos sites.

O PageSpeed analisa o desempenho dos sites em dispositivos móveis e desktop de acordo com métricas importantes para a experiência do usuário, especialmente as métricas do Core Web Vitals. Elas avaliam o tempo de carregamento e a estabilidade da página à medida que os usuários interagem com ela.

A ferramenta também faz auditorias e oferece uma série de recomendações para melhorar a experiência do usuário na página. Dessa forma, o PageSpeed Insights funciona como um norteador para as estratégias de otimização do site para UX e SEO.

Qual a importância da velocidade de um site?

Os usuários querem que a web seja rápida. No ritmo em que vivemos, as pessoas não querem perder tempo esperando um site carregar. Apenas alguns segundos de demora já são motivo para fechar a janela do navegador e abrir o site do concorrente.

O blog da Backlinko analisou 1 milhão de resultados de pesquisa do Google e encontrou "uma forte correlação entre a velocidade do site e os ranqueamentos no Google".

velocidade de carregamento de página vs posição no google

Mas, SEO à parte, já vimos como a taxa de rejeição da página aumenta à medida que a velocidade de um site diminui.

De fato, um estudo da agência de marketing digital dos EUA Portent mostrou em 2019 que "as taxas de conversão caem em média 4,42% a cada segundo adicional de tempo de carregamento (entre 0 a 5 segundos)". Ele também descobriu que os primeiros 5 segundos de tempo de carregamento da página tiveram o maior efeito nas taxas de conversão.

Da mesma forma que os usuários, o Google também quer que a web seja rápida. Afinal, o buscador quer oferecer a melhor experiência de busca, então, deve atender às expectativas dos leitores.

Por isso, o Google adota esforços para ajudar os sites a melhorarem seu tempo de carregamento. Um desses esforços é a ferramenta PageSpeed Insights.

Mas uma das iniciativas mais importantes para construir uma web mais rápida foi a inclusão da velocidade como fator de rankeamento do buscador. Em 2010, o Google anunciou a novidade para as pesquisas em desktop e, finalmente, em 2018, para as buscas em dispositivos móveis.

O que isso significa? Que quanto mais rápido o seu site carregar, mais chances ele tem de chegar às primeiras posições dos resultados orgânicos E, quanto mais no topo do ranking o site ficar, mais visibilidade e tráfego deve receber.

É claro que isso depende também de outros inúmeros fatores de rankeamento que devem fazer parte da sua estratégia de SEO. Mas, caso você dispute posição com sites muito semelhantes ao seu, a velocidade pode ser o diferencial.

Como o PageSpeed Insights funciona?

O Google PageSpeed Insights oferece um diagnóstico sobre o desempenho do site que você quer avaliar. Para isso, a ferramenta utiliza dados de dois tipos diferentes: de campo e de laboratório.

Os dados de campo são coletados de experiências reais dos usuários (também são chamados de Real Use Monitoring ou RUM). Com eles, você pode identificar gargalos reais, que afetam a experiência no site. Para esse tipo de dado, o PageSpeed utiliza o Relatório de Experiência do Usuário do Chrome (Chrome UX Report ou CrUX).

Já os dados de laboratório são coletados em um ambiente controlado, com configurações pré-definidas de dispositivo e rede. Eles permitem identificar, isolar e corrigir problemas de desempenho, com resultados reproduzíveis. O PageSpeed utiliza o Lighthouse para coletar e analisar dados de laboratório.

Nos relatórios do PageSpeed Insights, esses dados são utilizados e apresentados de diferentes formas. Primeiramente, o Google utiliza os dados de campo coletados nos últimos 28 dias, por meio das seguintes métricas de desempenho:

  • Largest Contentful Paint (LCP) – Maior exibição de conteúdo;
  • First Contentful Paint (FCP) – Primeira exibição de conteúdo;
  • First Input Delay (FID) – Latência na primeira entrada;
  • Cumulative Layout Shift (CLS) – Mudança de layout cumulativa;
  • Interaction to Next Paint (INP) – Interação com a próxima exibição;
  • Time to First Byte (TTFB) – Tempo até o primeiro byte.

Os dados de laboratório são usados e apresentados na sequência, no diagnóstico de problemas de desempenho. Nesse relatório, o PageSpeed define uma pontuação para cada categoria:

  • Desempenho;
  • Acessibilidade;
  • Práticas recomendadas;
  • SEO.

Para cada quesito, a ferramenta realiza auditorias que indicam uma série de oportunidades de otimização para melhorar a velocidade e a experiência do usuário.

Como usar o Google PageSpeed Insights?

Para iniciar, basta o Google PageSpeed Insights. Na página inicial, você já pode inserir a URL que deseja analisar, além de conferir outras informações sobre a ferramenta.

Ao clicar em “Analisar”, a ferramenta vai fazer uma varredura no site solicitado, analisando o desempenho do site nas métricas e categorias que apresentamos antes.
 

como fazer uma análise com o google pagespeed insight

Então, nos relatórios, você vai visualizar os resultados obtidos e as recomendações de melhorias. Você pode visualizar o desempenho no Celular ou no Computador — basta clicar na respectiva aba do relatório.

funcionamento do pagespeed insights, fazendo varredura no site

Perceba que o relatório traz dados resumidos, mas você pode expandir as orientações e encontrar mais detalhes. Assim, você tem todas as instruções para otimizar a velocidade e a experiência do usuário.
 

opções de otimizações disponiveis no pagespeed insights

Como analisar o PageSpeed Insights?

O Google PageSpeed Insights é um grande aliado para fazer otimizações de User Experience no seu site. Mas, para isso, é importante saber analisar os dados que a ferramenta traz.

Primeiramente, é importante notar que o PageSpeed não oferece uma métrica simples sobre o tempo de carregamento da página. Se você quiser apenas essa informação, é preciso usar outra ferramenta.

Em vez disso, o PageSpeed traz uma série de métricas e auditorias, que devem ser analisadas em conjunto para entender como está a performance do site. Agora, vamos entender melhor o que significam as métricas e pontuações que a ferramenta apresenta.

Largest Contentful Paint (LCP)

LCP significa maior renderização de conteúdo. A velocidade medida marca o ponto em que o usuário percebe que o conteúdo principal da página — a maior imagem ou bloco de texto — já foi carregado.

O que é uma boa pontuação de LCP?

O Google indica que uma boa pontuação de LCP deve ficar abaixo de 2,5s segundos. Entre 2,5 e 4s, precisa de melhorias. Acima de 4s, o Google considera uma pontuação ruim.

First Input Delay (FID)

FID significa latência ou atraso da primeira entrada. Essa métrica mede o tempo desde a primeira interação do usuário — um clique num link, um toque na tela ou um algum controle — até a resposta da página. A intenção é verificar a capacidade de resposta do site.

O que é uma boa pontuação de FID?

O Google indica que o FID fique abaixo de 100 milissegundos para oferecer uma boa experiência ao usuário. De 100ms a 300ms, precisa de melhorias. Acima de 300ms, é uma pontuação ruim.

Cumulative Layout Shift (CLS)

CLS significa mudança cumulativa de layout. É usada para medir a estabilidade visual da página à medida que o usuário interage com seus elementos. Não se trata de uma métrica de velocidade, mas de frequência de mudança de layout.

O que é uma boa pontuação de CLS?

Para oferecer uma boa experiência ao usuário, os sites devem se esforçar para manter o CLS abaixo de 0,1. Entre 0,1 e 0,25, é sinal de que precisa melhorar. Acima de 0,25, é um resultado ruim.

First Contentful Paint (FCP)

FCP significa primeira exibição ou renderização de conteúdo. A velocidade medida marca o ponto em que qualquer conteúdo da página começa a ser exibido na tela — ou seja, um sinal para o usuário de que o carregamento está acontecendo.

O que é uma boa pontuação de FCP?

O Google recomenda que os sites mantenham o FCP abaixo de 1,8s. O site precisa de melhorias quando o FCP está entre 1,8s e 3s. Já acima de 3s é considerado uma pontuação ruim.

Interaction to Next Paint (INP)

INP significa interação com a próxima exibição. Essa é uma métrica experimental que avalia a capacidade de resposta do site. Para isso, a ferramenta analisa todas as interações de clique, toque e teclado e anota a mais longa delas.

O que é uma boa pontuação de INP?

A recomendação do Google é que o INP fique abaixo de 200ms. Se ficar entre 200ms e 500ms, o site precisa de melhorias. Acima de 500ms é um resultado ruim.

Time to First Byte (TTFB)

TTFB significa tempo até o primeiro byte. Essa métrica mede o tempo que demora entre uma solicitação do usuário até que o primeiro byte de resposta comece a chegar. Ajuda a identificar quando um servidor é lento para responder.

O que é uma boa pontuação de TTFB?

O Google recomenda que o TTFB fique abaixo de 0,8 segundos. Entre 0,8s e 1,8s, o site precisa de melhorias. Já acima de 1,8s, é um resultado ruim.

Desempenho

análise de desempenho no pagespeed insights

O relatório de Desempenho do Google PageSpeed Insights se baseia em dados de laboratório. A ferramenta oferece uma pontuação nessa categoria, por meio do cálculo da média ponderada de diferentes métricas.

De acordo com a sua importância, cada métrica contribui para a pontuação com um peso diferente. Estas são as métricas utilizadas para calcular a pontuação de Desempenho, bem como seus respectivos pesos:

  • First Contentful Paint – 10%
  • Speed Index – 10%
  • Largest Contentful Paint – 25%
  • Time to Interactive – 10%
  • Total Blocking Time (tempo de bloqueio total) – 30%
  • Cumulative Layout Shift (CLS) – 15%

O que é uma boa pontuação de Desempenho?

Segundo o Google, os sites devem se esforçar para ter uma pontuação de Desempenho entre 90 e 100. De 50 a 89, o site precisa melhorar. Abaixo de 49 é uma pontuação ruim.

Acessibilidade

report de acessibilidade do pagespeed insights

O relatório de Acessibilidade analisa uma série de elementos do site que podem torná-lo mais acessível. São dados de laboratório que avaliam problemas de acessibilidade, mas a ferramenta ressalta que testes manuais devem ser realizados para obter uma análise completa.

As recomendações englobam experiências com tecnologias assistivas ou adaptativas, legibilidade do conteúdo, navegação por teclado, entre outros elementos.

O que é uma boa pontuação de Acessibilidade?

Assim como no relatório de Desempenho, o Google também recomenda que a pontuação de Acessibilidade esteja entre 90 e 100. Entre 50 e 89, precisa de melhorias. Já abaixo de 49 é considerado uma pontuação ruim.

Práticas Recomendadas

reporto de práticas recomendadas do pagespeed insights

O relatório de Práticas Recomendadas reúne avaliações sobre a experiência do usuário na página. As auditorias passam por imagens em baixa resolução, uso de APIs obsoletas, vulnerabilidades de segurança, pré-carregamento de fontes, entre outros pontos.

O que é uma boa pontuação de Práticas Recomendadas?

Uma boa pontuação de Práticas Recomendadas deve ficar entre 90 e 100. De 50 a 89, o site precisa de melhorias. Abaixo de 49 é uma pontuação ruim.

SEO

report de SEO do pagespeed insights

O último relatório que o PageSpeed apresenta é sobre SEO. A ferramenta analisa algumas boas práticas de otimização que o site deve seguir, embora esclareça que não analisa todos os fatores que podem influenciar no rankeamento.

O relatório traz recomendações sobre otimização de conteúdo, compatibilidade com dispositivos móveis, rastreabilidade dos links, uso de title tags e meta description, entre outros elementos.

O que é uma boa pontuação de SEO?

Assim como nos outros relatórios, uma boa pontuação de SEO deve ficar acima de 90. Entre 50 e 89, é preciso fazer melhorias. Já abaixo de 49 é considerado uma pontuação ruim.

Como usar o relatório do Google PageSpeed Insights?

Agora que você já conhece melhor as métricas e auditorias do Google PageSpeed Insights, talvez se pergunte: “Ok, mas por onde começar a otimizar?”.

O PageSpeed oferece inúmeras recomendações de melhorias. Se você quiser fazer tudo o que o Google sugere, vai precisar de muito tempo e dedicação. Então, o ideal é definir prioridades para começar a fazer as otimizações no site.

Para isso, trace uma estratégia de otimização a partir do relatório da ferramenta. Classifique as sugestões do Google por complexidade e relevância para definir uma escala de prioridades. Assim, a equipe tende a ganhar mais eficiência.

Você vai ver que algumas orientações são mais simples, mas muitas delas demandam um conhecimento técnico mais avançado. Então, é provável que você precise também contar com um desenvolvedor ou profissional especializado para fazer os ajustes necessários.

Além disso, como a ferramenta é baseada em pontos, é natural que você queira alcançar a pontuação máxima. Porém, essa busca pode ser desgastante, já que a pontuação máxima é quase inatingível. E, muitas vezes, as alterações que você faz não têm impacto direto na pontuação, embora a tendência seja que favoreçam a experiência do usuário.

Então, esse deve ser o seu foco ao usar o relatório do Google PageSpeed Insights: a experiência do usuário. Se aumentar a pontuação, melhor.

6 dicas de como melhorar a pontuação no PageSpeed Insights

Nos relatórios do Google PageSpeed Insights, você encontra diversas sugestões para melhorar a pontuação e otimizar a experiência no site. Mas selecionamos aqui algumas orientações principais:

1. Minimize o trabalho da thread principal

Uma das principais recomendações do Google PageSpeed Insights é minimizar o trabalho da thread principal. A thread principal é responsável pelo processo de renderização do site, que transforma os códigos em uma interface. Então, quando a thread está ocupada, não consegue responder às interações do usuário, o que gera uma má experiência.

Existem diversas ações para minimizar o trabalho da thread principal, como otimizar o JavaScript de terceiros, remover códigos não utilizados, evitar layouts grandes e complexos, entre outras medidas.

2. Reduza o tempo de execução do JavaScript

A programação do site tem grande impacto na velocidade de carregamento e na experiência do usuário. Por isso, outra recomendação é reduzir o tempo de execução do JavaScript, que tende a gerar custos de rede, de análise e compilação e de memória.

Para isso, você pode eliminar códigos desnecessários, minimizar e comprimi-los, implementar a divisão de código para enviar apenas o que os usuários precisam, entre outras ações.

3. Ative a compactação de texto

A compactação de texto tende a minimizar o total de bytes da rede e melhorar a velocidade do site. Para isso, os recursos baseados em texto devem ser veiculados com compactação em GZIP, Deflate ou Brotli.

Nos relatórios do PageSpeed Insights, você pode ver todos os recursos baseados em texto que não são compactados, bem como a economia potencial de bytes se você compactá-los.

4. Otimize as imagens

Além dos códigos do site, outro elemento que impacta bastante no desempenho do site são as imagens. Elas devem ser veiculadas em tamanho e formato adequado para não prejudicar o carregamento da página.

Então, utilize recursos para redimensionar as imagens corretamente, adiar o carregamento das imagens fora da tela, codificá-las de forma eficiente e utilizar formatos modernos, como AVIF e WebP.

5. Reduza o tempo de resposta do servidor

Essa dica está relacionada à métrica TTFB (Time to First Byte), que mede o tempo de resposta do servidor às interações dos usuários. Para reduzir esse tempo, é preciso identificar quais as principais tarefas que o servidor executa para retornar o conteúdo à página depois da solicitação do usuário.

Ao identificar essas tarefas, você deve adotar maneiras de acelerá-las, como atualizar o hardware do servidor para ter mais memória ou migrar para sistemas de bancos de dados mais rápidos. 

Em muitos casos, provavelmente você vai precisar entrar em contato com o provedor de hospedagem ou trocar de fornecedor para melhorar o desempenho do servidor.

6. Evite mudanças repentinas no layout

Mudanças repentinas de layout dizem respeito à métrica CLS (Cumulative Layout Shift), que analisa a frequência de mudanças repentinas na página. 

Isso acontece quando o site ainda está carregando, e o usuário vai interagir com algum elemento, que acaba se movimentando repentinamente no layout quando o carregamento é finalizado. Isso gera uma má experiência.

Para evitar isso, uma ação importante é definir os elementos de width e height das imagens e iframes, que evita movimentações repentinas. Além disso, você pode prever o espaço de anúncios e conteúdos dinâmicos previamente e pré-carregar fontes personalizadas.

Como a ferramenta de auditoria de sites da Semrush pode ajudar na análise de velocidade

A ferramenta de Auditoria do Site da SEMrush é uma maneira fantástica de testar a velocidade do site. 

Assim como o PageSpeed ​​Insights, a ferramenta de Auditoria do site pode recomendar melhorias para aumentar a velocidade de carregamento de um site e apontar outros problemas de desempenho. 

A ferramenta procura por mais de 130 erros técnicos e de SEO, fornecendo gráficos, instruções e diretrizes sobre todas as áreas, desde rastreabilidade até problemas de conteúdo.

Você pode visualizar um relatório temático completo que fornece uma visão sobre problemas e oportunidades de desempenho, mostrando tudo o que você precisa para fazer melhorias em um único relatório.

img-semblog

O relatório de desempenho ajuda a fazer melhorias acionáveis ​​no desempenho e no tempo de carregamento do seu site. É uma maneira rápida de obter uma visão geral e uma análise visual de seus dados e métricas, cobrindo:

  • Velocidade de carregamento da página;
  • Velocidade média de carregamento da página;
  • Número de arquivos JavaScript e CSS;
  • Tamanhos de arquivo JavaScript e CSS.

Além disso, o relatório aponta os erros, avisos e notificações. Tudo priorizado para ajudar a corrigir os problemas mais urgentes. Você vai encontrar informações sobre o que fazer para ver melhorias na seção 'Por que e como corrigi-lo', com problemas sinalizados, incluindo:

  • Problemas de tamanho grande de páginas HTML;
  • Cadeias de redirecionamento e loops;
  • Baixa velocidade de carregamento da página;
  • Páginas não compactadas;
  • Arquivos Javascript e CSS não compactados;
  • Arquivos Javascript e CSS não armazenados em cache;
  • Tamanho total de JavaScript e CSS muito grande;
  • Muitos arquivos JavaScript e CSS;
  • Arquivos JavaScript e CSS não minificados;
  • Tempo médio lento de interatividade do documento.

Por que vale a pena testar a ferramenta? Juntamente com o Google PageSpeed ​​Insights, a ferramenta de Auditoria do site pode ajudar a priorizar e corrigir ações para promover melhorias, reduzir o tempo de carregamento do site e ter a chance de converter melhor seus visitantes. 

Agora você já conhece melhor o Google PageSpeed Insights. Não é por acaso que essa ferramenta é uma das mais populares do marketing digital — afinal, o Google oferece — gratuitamente — uma série de recomendações que melhoram o desempenho do seu site.

E isso não significa simplesmente carregar as páginas mais rapidamente e melhorar a pontuação no PageSpeed Insights. Significa melhorar a experiência no site, ganhar a confiança das pessoas e ter mais conversões para o seu negócio.

Agora, aproveite para ler sobre como usar a ferramenta de auditoria de sites da Semrush para criar melhores experiências e ter mais resultados com os seus visitantes!

Compartilhar
Mais sobre isso