pt
English Español Deutsch Français Italiano Português (Brasil) Русский 中文 日本語
Acessar o Blog
Edu Costa

Táticas Ágeis de Mídias Sociais para Negócios Digitais

Táticas Ágeis de Mídias Sociais para Negócios Digitais

Edu Costa

Meu nome é Edu Costa, eu sou CEO da LinkedYou e sou consultor de marketing e vendas digitais há mais de sete anos. Eu estou aqui hoje para compartilhar com vocês um pouco da minha experiência com tudo isso, e principalmente para falar com vocês sobre táticas ágeis de mídias sociais para negócios digitais.

Por que táticas ágeis? Porque o mundo das mídias sociais é muito dinâmico então a gente precisa pensar em nível tático também.

Antes de começar a gente pode fazer dois disclaimers.

Nos últimos anos eu trabalhei bastante com marketing e vendas digitais, só que nos últimos dois anos particularmente para cá a gente se focou em mídias sociais. Em 2019, a gente faturou mais de 265 mil reais sem gastar um centavo em anúncios. Apenas entendendo o poder de cada um dos canais digitais, dos canais sociais, dessas mídias sociais e como utilizar cada um deles a nosso favor.

Então entra aqui um ponto importante - até é o primeiro disclaimer para você - não basta você entender, não se trata de hackzinho, você tem que começar a entender a linguagem de cada uma dessas plataformas para você entender como extrair o máximo delas a seu proveito. Para conseguir extrair o máximo delas para gerar resultado para você. 

O segundo disclaimer, que é bem importante fazer também, é que não existe fórmula mágica. Eu não estou aqui de forma alguma para dizer para você o que é que vai funcionar para você, para o seu negócio, te entregar a fórmula do sucesso. Não é o meu objetivo aqui. Muito pelo contrário, eu tenho mais dúvidas do que certezas e tenho até preocupação com quem tem mais certeza do que dúvida.

Então, eu estou aqui para compartilhar com você muito mais sobre o que é que você pode experimentar em cada um dos principais canais de mídias sociais, para que o seu negócio possa avaliar o que vai gerar mais ou menos resultado para você, em quanto tempo, para que tipo de público, com que tipo de ação.

E, a partir daí, você conseguir gerar inteligência de dados, sobre o que é melhor para a sua estratégia, que pode gerar mais resultado para você.

Visualização: Guia Definitivo para Profissionais de Mídias Sociais

Redes Sociais são mais que uma plataforma para comunicação. Hoje elas representam uma parte importante de marketing digital. Empresas do mundo inteiro estão usando redes sociais para alcançar os clientes potenciais, aumentando a concorrência. A boa notícia é que você pode usar algumas ferramentas poderosas para te ajudar a superar os seus concorrentes e melhorar o seu desempenho nas redes...

Receber PDF gratuito

Qual é o papel de cada mídia social dentro da sua estratégia?

Então, o primeiro ponto que eu gostaria de falar para vocês é exatamente sobre entender qual é o papel de cada mídia social dentro da sua estratégia. Pois tem gente que usa redes sociais como uma ferramenta de engajamento.

Por muito tempo no mercado, se falou dos canais sociais, das mídias sociais como um canal unicamente para gerar engajamento do público. Então por muito tempo todo o mundo ficou muito preocupado com os posts bonitinhos e pouco preocupado com como transformar esses likes, comentários e compartilhamentos em receita. Porque descobriram que like não paga o boleto.

Então, a gente precisava começar a pensar como a gente poderia utilizar esses canais de outras formas.

Será que esses canais digitais, sociais, poderiam trazer para gente um excelente ponto de tráfego? Será que essas mídias sociais poderiam funcionar para a gente como um canal de quebra de objeção, para facilitar a compra do meu público em outro canal? Será que esses canais funcionam como canal de conversão direta de seguidores, ou público, em clientes?

São perguntas que começaram a aparecer, as pessoas começaram a ir um pouco mais fundo para entender o que eles poderiam fazer relativo a isso e o que eles poderiam testar para entender quais são os usos desses canais. 

Você vai encontrar de tudo, você vai encontrar gente que acredita que mídias sociais é um canal de engajamento, tem gente que usa mídias sociais como um canal de aquisição de cliente, tem gente que usa as redes sociais como um canal de conversão, tem gente que usa para isso tudo.

Acho que o ponto chave aqui é você entender o que é que você quer conseguir com cada um dos canais. Então por exemplo, o que eu quero comunicar e gerar de resultado com o IGTV é diferente do que eu quero com o Youtube. O que eu quero conseguir com o feed do Instagram é diferente do que eu quero conseguir com o LinkedIn.

Eu acho que cada rede proporciona para a gente uma série de possibilidades, uma linguagem própria, mas também oferece uma série de recursos próprios que ajudam a gente a conseguir gerar mais resultado, se a gente consegue entender o que a gente quer, se a gente consegue clarificar para nós mesmos o que a gente quer conseguir com aquela rede e como usar os recursos dela a nosso favor. 

Vou dar uns examplos para vocês aqui. Mas é importante entender, desde o princípio, que as redes sociais são um meio de construir público.

Então se eu parar pensar assim: eu quero construir um canal para um público B2B, é mais fácil conseguir esse público no LinkedIn do que no Instagram. Mas eu consigo no Instagram também. Só que aí cabe pensar - o que eu quero conseguir com essa galera no Linkedin? Isso é uma coisa. Esse mesmo público pode estar no Instagram. Só que no Instagram, está buscando uma outra coisa, está em um outro momento. Então o que é que eu quero conseguir com cada uma dessas redes?

E aí entra um ponto chave: quando a gente entende que tipo de audiências a gente quer construir, entender essa audiência é muito mais do que você simplesmente entender qual canal você vai utilizar.

Porque quando você entende que tipo de audiência você quer construir, você entende também que tipo de conteúdo você deve produzir para atrair esse público, que tipo de ação você pode fazer que vai funcionar melhor com essa galera, que tipo de táticas você pode utilizar para testar em cada um desses canais e ver o que funciona melhor para você, de acordo com o seu objetivo de negócios. Independentemente dos objetivos, se é aquisição, engajamento ou conversão.

Mas enfim, a partir disso você consegue ter uma visão muito mais completa da sua estratégia, entender como você vai utilizar taticamente cada um dos canais para gerar resultado para o seu negócio digital. 

3 etapas da jornada de empresa

Eu costumo dividir a jornada nas empresas em três momentos, e aí você vai identificar em qual nesse momento está a tua empresa.

1. Quem está começando, quem está no momento de destravar, no momento da pessoa ter a primeira vitória dela. E o que é mais difícil? Sair do zero ao um, ou do um ao cem?

Do zero ao um, porque do zero você está saindo absolutamente do nada, você está criando algo do nada e indo para o um. Do um ao cem, está multiplicando aquilo, você está somando, está crescendo aquilo, está escalando.

São momentos diferentes e se você está começando um negócio agora, você provavelmente está nesse momento: está saindo do zero e indo para o um. Então você está nesse momento de destravar. E qual é a grande importância desse momento?

É você conseguir a primeira vitória, porque se você consegue a primeira vitória, você consegue saber que aquele canal funciona com aquele público e tem um insight do que você pode começar a fazer. Aí que você começa a entrar no segundo movimento, das empresas que já estão rodando, elas geralmente estão ou no segundo ou no terceiro momento.

2. Momento de validação.

Se no primeiro momento eu estou tentando destravar, uma vez que eu destravei e que eu vejo que “ok, opa tem um sinal positivo aqui, isso aqui pode funcionar para mim”, então quando você tem esse sinal você entra no segundo momento que é a validação. 

Beleza, agora que eu entendi que isso aqui pode funcionar, eu preciso entender com que copy isso vai funcionar melhor, para que tipo de público, com que tipo de canal, com que tipo de oferta, com que tipo de ação, com que tipo de tática. Então eu começo a validar uma série de coisas, para começar a ter mais clareza em relação ao que funciona melhor para o meu negócio. Esse é o segundo momento.

Tem muita empresa nesse segundo momento. Empresas que já viram que - opa tiveram sinal positivo, validaram o MVP, então já tem um público aqui. Só que agora a gente tem que começar a pensar o que vai funcionar melhor para a gente conseguir gerar mais resultado. 

E aí depois que você consegue entender todos os insights sobre que público funciona melhor, que tipo de estratégia funciona melhor, o conteúdo, canal, etc., você vai para o terceiro momento.

3. Momento de escala.

É o momento que vai escalar os seus resultados. Depois que você entende o que é que funciona melhor, você vai começar a pensar em ações para aumentar e crescer exponencialmente os seus resultados, a partir daquilo que você sabe que funciona.

E é aqui nesse mundo de escala que entra um investimento mais pesado em ads, que entram as automações - a maioria das automações de redes sociais são muito ruins porque as pessoas não sabem utilizá-las. Se você entende como utilizá-las, você pode fazer delas uma máquina de imprimir dinheiro para você.

É aqui que entra as automações, é aqui que entra a criação de fluxos de trabalho, que vão automatizar esse processo para você. Então, agora vou passar uma série de coisas que vão te ajudar a conseguir sair do um e para o cem, como a gente falou antes. 

Então em que momento a tua empresa está? Em que momento o teu negócio digital está? Você está tentando sair do zero para o um, tentando destravar, ou você está nesse segundo momento de começar a validar o que funciona melhor? Ou você está no momento de ganhar escala com aquilo que você já sabe que funciona? E por que eu estou falando isso para você, quando o assunto é mídias sociais?

Minha Experiência

Porque eu passei por isso. Lá em 2018 quando a gente começou eu lancei um conteúdo que viralizou no LinkedIn. A gente conseguiu gerar 13 mil leads em 3 dias sem gastar um centavo em anúncio. Só com um conteúdo relevante, para um público relevante, usando um canal relevante.

Muito daquele viral foi por acaso, foi realmente sorte. Mas muito também foi planejado, o que eu não sabia é que o planejado aumentaria muito a minha sorte.

Então depois - eu tenho um monte de vídeos aí que você pode procurar na internet onde eu apresento mais em detalhes esses cases, só que o ponto chave desse case, é que esse case desse viral, ele foi o ponto de destravamento. Foi o ponto que entendi: “cara, isso aqui pode funcionar, tem um mercado aqui, tem muita gente querendo saber sobre isso” - e o LinkedIn é um canal ótimo para isso.

Inclusive, o material que viralizou era sobre o LinkedIn, e isso foi o que levantou a red flag para mim de que - “opa, tem uma coisa aqui”. Então destravou para mim e me deu aquela primeira vitória. Gerar 13.000 leads em 3 dias, tudo sem gastar um centavo em anúncios, não é para qualquer um, ainda mais um canal difícil como o Linkedin.

Então, bacana, eu consegui validar e entendi que “opa, tem uma coisa que funciona ali dentro”, tive a primeira vitória. E aí eu fui para o momento seguinte, eu fui para o segundo momento, eu fui entender que é que eu ia fazer agora. Que copy funciona? Será que aquilo que eu consegui no viral, eu conseguiria replicar? Será que aquele tipo de copy funcionava para criar outros virais? Eu fui testando, e entendendo que tipo de copy funcionava, com que tipo de frequência, com que tipo de oferta, para que tipo de público, eu fui testando muita coisa, e eu fui entendendo o que é que funcionava ou não para o meu negócio. 

Quando comecei a entender o que funcionava ou não, foi exatamente no momento que eu comecei a transformar esses leads todos em clientes. Foi quando o pessoal começou a pedir para mim mais conteúdo, conteúdo pago, tipo “cara adorei o teu material só queria uma coisa mais aprofundada, você tem um curso? Você tem algum ebook pago? Você tem um treinamento? Você pode capacitar minha empresa? Você pode dar consultoria para gente sobre como usar o LinkedIn para gerar negócio? 

Então eu comecei a entender que tinha um movimento ali. Depois que eu entendi o que funcionava melhor, eu comecei a falar “cara aqui está o meu negócio”. Então já entendi como usar aquela máquina ali, para transformar em resultado. Agora precisava escalar isso. Eu tava no terceiro momento que era o momento de escalar esses resultados.

E aí o que eu comecei a fazer, foi começar a pensar em uma forma de automatizar esse processo de prospecção, para conseguir gerar resultado mais rápido. E usando algumas ferramentas dentro do LinkedIn eu consegui escalar muito isso, e consegui muita visibilidade em pouco tempo. Em dois anos para cá por exemplo, eu me tornei referência no assunto.

Foi aí que eu fundei a LinkedYou, que começou muito especializado em LinkedIn e depois ela mudou, e a gente ampliou o nosso escopo para atuar em outras frentes, falando não só de vendas sociais mas vendas digitais como um todo.

E aí, gente começou a falar mais em growth hacking e outras possibilidade de estratégias de vendas digitais e foi assim que começou a expandir o nosso negócio. Isso tudo aconteceu de dois anos para cá. De dois anos para cá eu fui reconhecido como autoridade no mercado e apareci nos principais eventos de marketing do país.

Tudo isso foi muito decorrente de entender como funciona as mecânicas das redes sociais, das mídias sociais, e como apertar os parafusos para que isso funcionasse melhor. Como usar cada um dos recursos de cada rede ao meu favor para conseguir gerar cada vez mais e mais resultados. 

É por isso que eu compartilhar isso com você hoje. Eu contei essa história para você e contei essa lógica desse momento, para você entender em que momento do negócio digital está hoje e como você pode usar isso a seu favor, para começar a experimentação, começar os testes daquele que vai funcionar melhor para você e para o teu negócio.

Pode ser que o LinkedIn, que funcionou muito bem para mim não funcione para você, pode ser que o Instagram. Mas também pode ser que o Instagram funcione muito bem para você e o Facebook não, ou pode ser que chatbot funcione e a prospecção inbox no LinkedIn não funcione, pode ser que vídeos no Youtube emplaquem, mas vídeos no IGTV não. Não sei A gente vai testar e entender quais são as possibilidades que você tem.

SEMrush Social Media Tracker

Análise avançada de atividades nas redes sociais

Digite o seu domínio (ex. www.exemplo.com)

Só que eu trouxe algumas ideias aqui para você.

1. Ideias para LinkedIn

O primeiro canal que eu queria falar aqui para vocês é o LinkedIn.

Eu já falei bastante dele aqui, só que qual foi a grande chave que virou para a gente lá em 2018? Primeiro que era um momento favorável. Que o LinkedIn queria distribuir muito, então o alcance era muito grande. Então era mais fácil emplacar e virar a gente lá dentro do LinkedIn, se você sabia o que tava fazendo.

Só que ao mesmo tempo era muito complexo, era muito difícil porque ao longo do tempo o LinkedIn foi diminuindo, foi fechando a torneira, como a gente sabe que as redes sociais fazem. Também porque aumentou a concorrência de conteúdo, mais gente está no LinkedIn e consequentemente o algoritmo distribui melhor isso, e fica mais difícil de emplacar. 

Mas o ponto não está exatamente aí. Claro que você deve produzir conteúdo no LinkedIn e isso vai te ajudar bastante a construir autoridade, a ter um posicionamento de referência no mercado. Só que o ponto chave não está necessariamente aí.

O ponto chave está em você começar a entender que o LinkedIn ele é um grande CRM.

Você consegue imaginar o LinkedIn como um banco de dados gigantesco, sobre as principais empresas do mercado? Isso te ajuda a ter uma boa noção de quais as possibilidades que você tem ali dentro. Não só em termos comerciais, de gerar inteligência comercial, de gerar dados para ajudar o seu processo comercial, mas também você entende como você pode extrair essas informações para usar na tua estratégias de marketing.

Você tem essencialmente dois caminhos que você pode usar ali, além da produção de conteúdo: 

  • Começar a construir uma audiência dentro do próprio LinkedIn. Começar a segmentar o teu público lá dentro, usar os filtros de busca para encontrar o teu público e começar a adicionar essa galera dentro da tua rede, para que você use esse canal essa conexão para o teu negócio, começar essa abordagem, essa prospecção dentro do seu canal no LinkedIn.
  • Usar o LinkedIn apenas como um banco de dados e extrair informações para usar fora do LinkedIn. 

Tem uma série de ferramentas, uma série de recursos que você pode utilizar para escrapear, ou fazer scraping dos dados ali dentro do LinkedIn. Como por exemplo o PhantomBuster o Snov.io, Hunter.io, FindThatLead, Romper.

Esse é o ponto do LinkedIn. Uma audiência muito mais focada em B2B e profissionais autônomos, do que propriamente em B2C, você não vai conseguir vender um sapato no LinkedIn. Difícil você vender um sapato no LinkedIn, mas você vai conseguir vender um serviço de consultoria para venda de sapatos.

Então você tem que entender ali se o teu mercado está no LinkedIn e como você pode usar essa quantidade absurda de dados que ele tem aí dentro para aumentar a sua rede lá dentro. Porque afinal de contas o CEO de qualquer empresa está a um clique de distância, certo?

2. Instagram

O segundo ponto aqui que eu queria falar com vocês era sobre o Instagram. Sobre como é que Instagram se tornou muito popular, ele é hoje o que o Facebook era há alguns anos atrás.

Tem que entender que no Instagram a gente tem feudos, áreas diferentes com mecânicas diferentes e que a gente pode usar de formas completamente diferentes também.

Então dentro do Instagram gente tem:

  • O feed, que é a nossa vitrine.
  • Os stories com um conteúdo mais dinâmico e é um conteúdo que desaparece, então é um conteúdo que a gente produz ali muito mais para conversar, engajar mais com a nossa audiência.
  • O IGTV que é o Youtube do Instagram, onde a gente pode colocar mais conteúdo ali dentro para “mastigar” a cabeça do nosso público, a doutrinar o nosso público em relação ao conteúdo que a gente oferece, em relação às dores que a gente resolve, etc...
  • As Lives, que são uma linguagem própria e uma outra possibilidade ali dentro. A gente está vendo a quantidade de Lives que ocorrem nesse momento de 2020 porque o pessoal está mais tempo em casa, tem mais tempo disponível. Atualmente quando você está no “horário nobre”, à noite, é quase como se você estivesse assistindo TV. Você vai vendo uma Live, pula para outra Live, pula para outra Live, como se você estivesse trocando canais de TV. Curioso isso.
  • O inbox. O inbox também é um canal que você pode utilizar para ativação e conversão direta.

Então são feudos diferentes que funcionam de uma forma diferente.

Feed

Por exemplo, quando você vai falar do feed, como a gente falou, o feed é o que tem maior alcance, é a nossa vitrine, certo? Então o que você posta no feed, aparece para todo mundo, fica lá no principal conteúdo do Instagram. E aí tem alguns pontos chave em relação à vitrine:

  • Formatos

O pessoal costuma usar fotos. Fotos ou vídeos curtos. Mas também tem o carrossel, que é um formato que se popularizou muito e que você pode testar dentro do teu negócio.

Os carrosséis são interessantes especialmente porque eles conseguem gerar mais engajamento do usuário com o post. Então o fato do usuário passar ali a imagem para o lado para conferir o carrossel já é um indicativo de engajamento no próprio post e, consequentemente, o algoritmo do Instagram privilegia a você e aumenta o teu alcance orgânico. 

  • Conteúdos de referência ou conteúdos "salváveis"

Uma possibilidade também interessante você testar conteúdos mais salváveis, conteúdos que são conteúdos de referência, que as pessoas podem voltar para conferir. 

Por exemplo: 20 ideias de posts que você pode usar na tua estratégia de marketing digital. Sete ferramentas de vendas digitais para acelerar os teus resultados. São informações que a pessoa precisa voltar para conferir. Então isso é um tipo de conteúdos salvável que a pessoa vai lá e salva.

E por que é interessante isso? Porque o save faz com que mais do teu conteúdo apareça para as pessoas que salvam o seu conteúdo, então você termina criando uma audiência cativa de pessoas ali, que mais engajam com você.

Stories

Quando a gente fala do stories já é uma outra mecânica.

O stories é um conteúdo mais dinâmico, um conteúdo que a gente usa mais como uma ferramenta de engajamento com o nosso público e que tem mais recurso de engajamento, lá tem um box de pergunta, tem as enquetes, tem os quizzes, tem música, tem gif, tem um monte de recurso que você pode utilizar para que você consiga gerar mais engajamento do teu público.

Só que tem um ponto chave aí também. Os stories terminam funcionando como uma grande biblioteca de conteúdo, porque todos os stories estão armazenados. Eles vão lá para o arquivo de stories, se você não sabe, procura aí no Google para você saber onde fica. Mas tem um arquivo dos seus stories, no teu perfil do Instagram. Isso é interessante porque você termina criando uma biblioteca de conteúdo. 

Uma ideia que você pode testar ou não (não estou dizendo que é o caminho do sucesso para vocês, mas é uma que funciona muito bem aqui para mim e para a LinkedYou) é usar as perguntas das pessoas para criar conteúdo.

Então, a gente criava boxes de perguntas lá no stories, e colocava como mentoria gratuita - as pessoas postavam as suas perguntas ali dentro a gente respondia da forma mais completa possível. Aquele conteúdo ficava disponível por 24 horas no stories. Depois ele sumia e ia para o arquivo. Só que eu poderia reutilizar aquele conteúdo. Tanto como destaque, lá no perfil, como repostar aquele conteúdo. Já que aquele é um conteúdo de valor eu posso repostar aquilo ali e usar sempre. 

Então olha só que interessante. Quanto mais conteúdo eu produzo no começo menos eu tenho que trabalhar depois para produzir conteúdos novos, porque eu vou reutilizando muito desses conteúdos.

No dia que eu estou sem saco para fazer um story por exemplo, eu vou lá no arquivo de stories escolho stories passados que são interessantes e republico eles. É uma forma de a gente começar a engajar, a reaproveitar esse conteúdo que a gente já produziu. 

Live 

Quando a gente fala de live por exemplo, é um ponto importante. É que tem muita live. Então, se você vai usar live como um canal, tenha a certeza que essa live tem um propósito. Tenha a certeza que essa live tem uma entrega no final. Porque o que a gente mais vê são lives que poderiam ser meia dúzia de stories. Então, faz uma live com propósito, tenha um vídeo muito claro estrategicamente para que você consiga gerar resultado com isso. 

IGTV

O IGTV é interessante para que se produza conteúdos em vídeos mais extensos, em torno de 10 a 15 minutos. Isso é suficiente para que você consiga produzir conteúdo mais aprofundado do que o feed, um conteúdo para quebrar objeções, um conteúdo que você consiga doutrinar o teu público em relação ao que você quer que eles acreditem. Em relação ao tipo de problema que eles têm, em relação ao tipo de problema que vocês resolvem.

O IGTV, é um grande blog, na verdade, é um grande repositório de conteúdo que você pode colocar ali na forma de vídeo, para responder às principais dúvidas que o teu público tem, ou quebrar as principais objeções que ele tem na jornada de compra dele. E também é interessante que você pode sempre repromover esses conteúdos lá no IGTV.

Inbox

E o inbox é algo interessante, é legal vocês testarem o inbox.

Eu faço aqui, dá muito certo, novos seguidores que interagem comigo eu costumo responder com vídeo. Então eu faço um vídeo: “Oi fulano, tudo bem, sei lá o quê”, para que a pessoa se sinta especial, porque eu gravei um vídeo para ela, na primeira interação.

Então a relação muda com o lead, ele fica muito mais fiel contigo, fica muito mais engajado se sente muito mais especial, e é isso que eu quero que eles sintam mesmo, que eles são especiais, porque afinal de contas, é para eles que o meu negócio existe.

Facebook

Já no Facebook a gente tem um ponto chave aí que é testar grupos.

Testar grupos que podem ajudar a gente, que podem dar informações qualitativas para gente em relação ao público e também que permitam a gente criar comunidades em torno da nossa marca.

Também você pode usar o scraping, com as ferramentas para extrair mais informações ali dentro, e o chatbot, é um outro recurso bacana de você usar ali.

YouTube

Para a gente encerrar aqui, vamos falar do Youtube que é uma forma de blog em vídeo. Eu gosto de pensar no Youtube como um repositório de conteúdo evergreen. Eu posso falar de assuntos do momento, é claro. O problema é que esses vídeos ficam datados, então mais interessante do que pensar no assunto do momento, é pensar por exemplo, em conteúdos que não desatualizam rápido, que respondem as dúvidas do meu público e que eles possam ser encontráveis pelo meu público.

É importante que o meu público consiga encontrar esse conteúdo mais rapidamente. Então por exemplo eu posso pensar na estratégia de SEO para o meu canal do Youtube, porque afinal de contas eu estou falando do mecanismo de busca do Youtube. Logo, estou falando de SEO, de melhorar a encontrabilidade do meu conteúdo dentro do Youtube. Eu posso trabalhar os títulos, descrição, tag, recursos extra de vídeos, thumbnail, imagem, nome do arquivo...

Tem uma série de itens aí, que vocês podem procurar em qualquer checklist sobre Youtube Marketing, e eu recomendo inclusive que vocês sigam o Camilo Coutinho que é uma grande referência no assunto, que tem o canal Play de Prata e que é um grande amigo que me ajudou bastante por exemplo, a melhorar o meu canal no Youtube. Então ele mesmo tem um checklist lá excelente que fala sobre todos esses pontos de SEO que você pode trabalhar dentro do teu canal, para que você consiga ser mais encontrável ali dentro. 

E um outro ponto é você construir essa percepção de blog em vídeo.

Vamos pensar na tua estratégia de conteúdo de forma geral. Se cada post do teu blog tiver um vídeo no teu canal do Youtube complementando ele, o teu conteúdo fica mais rico, o teu o teu canal do Youtube gera mais seguidores, geral mais uma audiência. Você consegue criar múltiplas formas de agregar valor para o teu público e distribuir esse conteúdo em várias frentes. Então é mais uma possibilidade para vocês.

SEMrush Social Media Tracker

Análise avançada de atividades nas redes sociais

Digite o seu domínio (ex. www.exemplo.com)

Então espero que vocês tenham curtido esse papo aqui sobre táticas ágeis para mídias sociais, para negócios digitais, porque eu apresentei para vocês alguns pontos chaves, de cada um dos canais e principalmente essa ideia de você entender em que movimento você está e como utilizar cada um dos canais na tua estratégia, em cada um desse momentos. Acho que isso vai ser um ponto chave para você, para você fazer a virada de jogo e consegui gerar cada vez mais resultados para o seu negócio. 

Espero que tenham curtido esse material aqui, se curtiu não esquece de me acompanhar lá nas redes sociais. Edu Costa MKT, em qualquer lugar no Instagram, no LinkedIn.

Espero que esse conteúdo tenha ajudado vocês e que a gente possa se encontrar no lado de cá do crescimento. Um grande abraço e até a próxima!

Edu Costa
Edu Costa
Especialista em estratégias de Marketing e Vendas Digitais, Edu Costa é mentor de negócios, consultor e CEO da Linkedyou. Nos últimos 7 anos de carreira, já faturou múltiplos dígitos ajudando empresários e profissionais a desenvolverem estratégias digitais que gerarem receita online e vendas todos os dias. Capacitou e auxiliou no crescimento de empresas como Samsung, Club Med, Unimed, Resultados Digitais, Banco Inter e outros.
Enviar comentário
Seu comentário deve ter pelo menos 3 palavras (10 caracteres).

Usaremos este e-mail unicamente para responder aos seus comentários. Política de privacidade

Agradecemos pelos comentários!