Anunciamentos do Google, AMP Stories, Mudanças no Google Image Search e muito mais

Wesley Cleam

Mar 20, 20184 min read
Anunciamentos do Google, AMP Stories, Mudanças no Google Image Search e muito mais

O Google fez alguns anunciamentos relativamente grandes nas últimas semanas. Há mudanças na busca de imagens, há notícias sobre sites http marcados como não seguros e algumas novidades sobre o AMP também.

Falaremos sobre o novo recurso de auditoria de site chamada Lighthouse pelo Google, e muito mais.

Começando em Julho de 2018, Google irá marcar todos os http sites como não seguro

O Google anunciou que, em julho de 2018, com o lançamento do Chrome 68, todos os sites que não tiverem ainda o protocolo HTTPS serão marcados como não seguros.

O que isto significa é que, quando as pessoas visitarem um site HTTP usando o Chrome, eles verão a seguinte mensagem na barra do navegador:

Isso não significa que os sites http necessariamente irão despencar no ranqueamento. O Google anunciou, anos atrás, que os sites https tinham um aumento de ranking, mas o boost é bem pequeno... essencialmente um desempate.

Vale relembrar que atualmente os sites que ainda estão em http e tem algum formulário que contém dados sensitivos, na hora que o usuário clicar em algum campo para preencher, já marca como não seguro, exatamente como mostra na imagem acima.

A internet está abominável nas últimas semanas com mudanças na busca de imagens do Google. O Google removeu o botão "Ver imagem" visto nas pesquisas de imagens:

snimok-ekrana-2019-01-21-v-123034.png

Anteriormente, esse botão abriria uma imagem e permitiria que os usuários baixassem. Agora, esse botão foi removido. Se você clicar na imagem, você será levado para a página na qual a imagem está hospedada.

Muitas pessoas estão chateadas com essa mudança mas, na verdade, é uma mudança que deve resultar em mais tráfego e potencialmente mais receita de publicidade para aqueles que recebem o pagamento com base em visualizações dos ads.

Gráfico aumento de tráfego orgânico de imagens depois da mudança
Gráfico de aumento de tráfego orgânico de imagens depois dessa mudança

AMP para E-mail

Se você é um AMP publisher, agora você também possui algumas opções adicionais para usar na comunicação por e-mail. Há mais informações sobre a implementação aqui.

Exemplo do Pinterest para AMP email

GIF
Exemplo do Pinterest para AMP email

Google adicionou uma seção do Lighthouse SEO audit no Chrome Dev Tools

Esta é uma ferramenta interessante que adiciona boa informação para a auditoria de um site. Para usá-la, você precisará instalar o Lighthouse Chrome Extension.

Então, quando você inspeciona uma página no Chrome (CMD+Option+I em um Mac ou CTRL-Shift-I em um Windows), você verá esta opção de audit:

Seção Audit do Chrome Dev Tools

Isso nos dá algumas informações interessantes.

Primeiro, há informações de velocidade e de melhoras sobre possíveis problemas na velocidade:

Seção performance do lighthouse

Em seguida, há informações sobre acessibilidade:

Seção acessibilidade do lighthouse

Há também uma seção sobre as melhores práticas. No entanto, algumas dessas dicas são um pouco técnicas demais para uma pessoa comum entender:

Seção melhores práticas

Page Speed Update

John Mueller já disse isso, mas mais uma vez ele disse que a velocidade da página é apenas um fator de ranqueamento se você estiver tendo problemas significativos, como por exemplo um site bem lento:

Tweet do John Mueller falando que o Google diferencia sites bem lentos do resto

O Google publicou este anúncio dizendo que em julho de 2018 haverá um “Page Speed Update”. Nele, eles dizem o seguinte:

“The “Speed Update,” as we’re calling it, will only affect pages that deliver the slowest experience to users and will only affect a small percentage of queries. It applies the same standard to all pages, regardless of the technology used to build the page. The intent of the search query is still a very strong signal, so a slow page may still rank highly if it has great, relevant content.”

— Webmaster Central Blog

Isto significa que - o que muitos não entenderam - é que somente as páginas lentas sofrerão o impacto negativo. Porém se uma página for lenta mas condizer com a intenção da busca e for um conteúdo bem relevante, ainda terá chances de ranquear bem.

Outra coisa, que é a parte chave, é que a partir desse Speed Update, sendo o roll out em Julho deste ano, a velocidade de carregamento do mobile vai ser um sinal de ranqueamento para o mobile. Atualmente a velocidade do desktop é usada tanto para o mobile quanto para o desktop.

Agora vocês devem estar se perguntando: quanto as páginas AMP, a velocidade que vai ser usada, é a da página em AMP ou a página da canonical tag?

O objetivo desta mudança é melhorar a experiência do usuário, algo que o Google preza tanto, portanto nada mais justo que a velocidade da página que o usuário estiver lendo ser levada em consideração.

Com isso dito, a velocidade da página que o usuário estiver lendo - a versão AMP - caso você tenha implementado, será levada em consideração.

Olha aí o Mueller dizendo a mesma coisa:

Tweet do John Mueller dizendo que a versão AMP será levada em conta e não a canonical

Vale mencionar que se uma página em AMP entregar uma experiência lenta para o usuário, ela ainda pode não ranquear bem.

Mas por que uma página em AMP teria uma experiência lenta?

De fato a tecnologia utilizada tem uma série de restrições que dá um certo conforto ao Google pelo fato de que não é possível encher uma página com elementos que estão fora do padrão de validação, o resguardando assim contra erros comuns de desenvolvedores, porém ela não evita de você encher de dezenas de MB de imagens, vídeos etc não otimizados.

“Itens também pesquisados” aparecendo quando você retorna para a SERP

Comecei a ver isso alguns meses atrás, mas parece que é visto por todos agora no desktop:

itens também pesquisados

Novidade do Google: AMP Stories

Esse é mais um incentivo em direção ao AMP. A mais recente é a chegada do AMP Stories. Aqui está um vídeo o mostrando em ação:

Essas stories funcionam tanto em dispositivos móveis quanto em desktop. Eles permitem que um editor crie um image rich story que os usuários possam deslizar. Aqui está um exemplo:

https://mic.com/stories/262/the-art-of-an-organized-refrigerator

Não me surpreenderia se esse fosse mais um feature que tomasse a atenção dos primeiros resultados do Google, empurrando para baixo os resultados orgânicos. É algo para se prestar atenção!

Se você gostou desse artigo, compartilhe-o nas redes sociais e deixe seu feedback (ficarei grato)!

New Ebook

0

Author Photo
Wesley CleamProfissional de Search Engine Optimisation há mais de 6 anos, consultor de SEO, head de SEO do Portal TD e fundador do Instagram @trechosdelivro com mais de 3,3 milhões de seguidores, além disso é entusiasta de tecnologia, marketing, machine learning, AI e gosta de desmitificar as coisas.
Subscribe to learn more about Novidades do Mercado
By clicking “Subscribe” you agree to Semrush Privacy Policy and consent to Semrush using your contact data for newsletter purposes