logo-small

9 erros de SEO On Page que estão sabotando os seus rankings

68
Wow-Score
A pontuação Wow-Score mostra o quão atrativa é uma postagem de blog. É calculada com base na relação entre o tempo de leitura de usuários ativos, a velocidade de rolagem e o tamanho do artigo.
Saiba mais

9 erros de SEO On Page que estão sabotando os seus rankings

Renato Mesquita
9 erros de SEO On Page que estão sabotando os seus rankings

Você criou um blog para seu negócio, postou um conteúdo incrível, divulgou nas redes sociais, mas, mesmo assim, não tem tido bons resultados?

Esse tipo de situação, em alguns casos, é mais comum do que se imagina, e pode significar que existem elementos mal configurados em suas páginas, impedindo que o seu conteúdo conquiste um bom rankeamento e traga os resultados esperados. Erros assim podem comprometer os resultados de uma campanha de marketing.

A boa notícia é que você tem total controle sobre todos os aspectos de SEO em suas páginas, tornando a resolução do problema fácil e muitíssimo prática.

Quer saber como?

Confira abaixo nossa lista com 9 erros de SEO On Page que você precisa evitar e, de quebra, aprenda como é possível resolvê-los agora mesmo.

1. URLs não amigáveis e otimizadas

Os usuários que utilizam os motores de busca encontrarão o seu site por alguns possíveis caminhos:

  1. Diretamente, digitando o seu endereço na barra de pesquisa;
  2. Organicamente, por meio de pesquisa no Google;
  3. Referenciado, ou seja, por meio de algum link direto por anúncio ou indicação de outro site;
  4. Social media e email marketing também são opções.

Uma URL não otimizada já reduz, e muito, as chances de seu website ter o endereço manualmente digitado por algum visitante mais paciente.

Além disso, esse descuido pode acabar diminuindo suas chances de rankeamento na primeira página, uma vez que a estruturação da URL é fator primordial para os mecanismos de buscas entenderem se um site pode, ou não, figurar entre os primeiros na busca do Google.

Busque links de fácil interpretação, como:

E nunca algo assim:

Perceba que, pela leitura dos dois primeiros links você já é capaz de entender exatamente do que será tratado no texto.

Se o seu site está hospedado no Wordpress, a correção desse tipo de erro é bastante simples. Instale o plugin Yoast para a plataforma e proceda para os ajustes necessários.

Algumas boas dicas para a configuração de seu link incluem:

  • Texto da URL de fácil leitura;

  • URL com palavra-chave do conteúdo;

  • Links curtos;

  • Remova caracteres complexos (á, ç, õ etc.);

  • Use no máximo 5 palavras;

  • Separe palavras com hifens;

2. Títulos desleixados

Antes de começarmos, é importante que você saiba que 8, em cada 10 pessoas, lerá o seu título. Parece ruim? Então espero que não se assuste quando souber que apenas 2 dessas 10 pessoas, lerão o conteúdo que você postou.

Imagine então como seriam esses dados se, para piorar a situação, você ainda colocasse um título nada chamativo, que espantasse o leitor de primeira?

Isso certamente não ajudaria no seu tráfego, e menos ainda o seu rankeamento.

É fundamental que você dedique algum tempo bolando um título persuasivo, capaz de sintetizar o conteúdo do seu post, com o tamanho certo.

E não é só isso: A palavra-chave principal do seu texto PRECISA estar no título se você quiser algum resultado orgânico.

Esforce-se por criar um título entre 55 e 65 caracteres atentando-se para manter a palavra-chave no ponto mais à esquerda possível.

Pode parecer bobagem, mas esse posicionamento também é um dos fatores que influenciam no rankeamento e no processo de leitura dos bots de mecanismos de buscas.

A não ser que isso afete qualidade do seu texto, nesse caso opte por ter um título com uma boa qualidade.

3. Keyword Stuffing

Você já sabe a importância de se utilizar palavras chave em um conteúdo, tenho certeza disso.

Mas você sabia que o seu uso excessivo pode não ser bem visto pelo Google e pode trazer penalidades severas para sua página?

Acreditando que a simples presença da palavra escolhida seria o suficiente para garantir um bom posicionamento no Google, centenas e milhares de páginas começaram a tirar proveito da densidade de palavras-chave de maneira irresponsável.

Funcionava assim: Você criava um conteúdo irrelevante e, a cada 10 ou 15 palavras, adicionava a palavra-chave sem se preocupar com o contexto ou a qualidade do texto.

Resultado: Uma infinidade de conteúdos inúteis e sem qualquer apelo começou a se propagar pela web, gerando um abuso dessa funcionalidade.

Logo, o Google alterou suas políticas para rankeamento, e o uso indiscriminado das palavras-chave tornou-se motivo de penalidade para todo tipo de conteúdo.

Então, antes de sair espalhando palavras-chave pelo seu texto, lembre-se de que um dos maiores erros de SEO On Page é justamente o de ignorar a experiência do leitor.

Para um uso mais consciente desse recurso no seu texto, considere sempre:

  • Variações da palavra chave;

  • Inserção contextual;

  • Escaneabilidade;

  • Uso de Long Tail e Head Tail;

  • Definição de palavras-chave negativas.

4. Escaneabilidade mal planejada

Escaneabilidade é um fator fundamental na construção de seu conteúdo e, claro, na experiência do usuário.

Ele ditará a facilidade com que uma pessoa, que realiza a leitura do texto online, terá para absorver o conteúdo e percorrê-lo com os olhos.

Não só isso, a escaneabilidade também ajuda a tornar a leitura muito mais fluídica e garante que o usuário não saia do seu blog por conta da dificuldade de ler o seu texto.

Algumas dicas para garantir uma boa escaneabilidade em seu texto incluem:

  • Coloque intertítulos no texto;

  • Use negritos e itálicos;

  • Parágrafos curtos;

  • Use listas para facilitar a leitura;

  • Use imagens no conteúdo.

5. LSI incompreendida

A Indexação Semântica Latente (ou LSI – Latent Semantic Indexing) é um dos fatores que o Google utiliza como referência na formulação de seu algoritmo para rankeamento, tendo, como base, a relação entre as palavras utilizadas em um conteúdo.

Funciona assim: Se você cria um conteúdo sobre “Conversão”, os robôs do Google farão uma varredura no seu texto para compreender do que ele trata.

Ao constatar outras palavras relacionadas a marketing digital, ele entenderá (matematicamente falando) que o texto não aborda conversão dentro de tópicos de religião ou informática, por exemplo.

Por isso, é fundamental que você foque no uso contextual de palavras-chave e suas variações dentro do conteúdo, fazendo o máximo para que seu texto esteja recheado de termos e expressões que não fujam no assunto principal.

Uma boa alternativa é usar o SEMRush para conferir a palavra-chave e suas variações, e daí escolher as alternativas com maior índice de busca.

6. Meta descriptions mal formuladas

A meta description, é uma pequena sinopse do seu conteúdo que será utilizada como preview do na hora que ele for apresentado em alguma pesquisa no Google, e fundamental para o rankeamento de sua página.

Use desse espaço (que pode ser encontrado entre as tags <head> do seu conteúdo, ou no campo específico para isso, caso você utilize o Wordpress) para apresentar o conteúdo da página de maneira resumida e convidativa.

Lembre-se de que esse será o primeiro contato do usuário com o seu texto nas páginas de resultados do Google, e ele precisará ser atraente de modo a convencer o leitor a clicar no seu conteúdo, e não no do concorrente.

Por isso, invista nas meta descriptions e tire um tempinho para elaborar algo realmente interessante!

7. Falta de Headings

Um dos mais comuns erros de SEO On Page inclui a falta de configuração dos títulos e subtítulos de um conteúdo.

Esses elementos, indicados pelas tags <h1>, <h2>, <h3> etc., são utilizados para categorização hierárquica do conteúdo, e ajudam na leitura e, claro, na escaneabilidade.

Não se esqueça de tentar colocar a palavra-chave do texto dentro de um dos <h2> da página (o <h1> já será o título principal do conteúdo!), já que isso também auxilia no rankeamento nos motores de busca.

O ideal é que seu texto seja todo dividido entre subtítulos de acordo com a relevância do conteúdo.

Nesse texto, por exemplo, cada um dos erros apresentados está dentro de um subtítulo H2. Caso fosse necessário separar cada erro por subtítulos mais específicos, por exemplo, elas ficariam dentro de H3 e, consequentemente, também dentro da H2.

8. Falta de linkagem interna

Você pode usar links no seu conteúdo para uma infinidade de motivos, mas eles são especialmente úteis na hora de redirecionar o usuário para algum conteúdo explicativo dentro do seu próprio blog, creditar pesquisas e referências utilizadas, deixar o conteúdo bem mais interativo e interessante, melhorar o rankeamento da página e, claro, fazer link building com algum parceiro.

Com um bom planejamento, você melhora a experiência do usuário no texto e ainda descola acessos em seus outros conteúdos, estimulando a movimentação dentro do seu blog.

Tudo isso ajuda, e muito, nos fatores de rankeamento de sua página, empurrando-a para cima nos buscadores mais populares.

9. Não entender o que realmente converte

Esse é um dos maiores erros que você pode cometer com o seu site.

Não entender o que converte significa que você não está monitorando os resultados do blog, não compreende o comportamento de sua persona e não está se esforçando o suficiente para otimizar suas postagens.

Esteja atento para a realização de contínuos testes com o seu conteúdo, e observe quais links, CTAs ou Landing Pages contribuem melhor para a conversão no seu conteúdo.

Confira se o uso do negrito e itálico tem trazido resultados, se as palavras-chave estão linkando corretamente para outros conteúdos do seu blog, quais imagens geram melhores resultados e então não meça esforços para colocar em prática tudo o que está dando certo.

Conhecer o seu site é fundamental para que você tenha bons resultados.

Gostou? Quer entender melhor sobre os erros de SEO On Page? Então aproveite agora e confira nosso Checklist SEO e tenha certeza de que o seu site está mesmo pronto para ficar em primeiro no Google!

Você não vai querer ficar na segunda página por mais nem um instante, não é mesmo?

Compartilhar esta postagem
or

Comentários

2000 caracteres restantes
Valdir Moura
Oi Renato, Excelente post.
Tenho a seguinte dúvida: Devemos criar o "title" e o "h1" diferentes? Pergunto porque estou usando o semrush e foi detectado este erro em algumas páginas do meu site. Não em todas. Apenas 6. Se isso é realmente um problema, o erro não deveria ser detectado em todas as páginas, já que "title" e "h1" - pelo menos eu achava - é o "normal". Isso realmente é um problema?
Francis Alisson
Estou sempre de olho nos textos de vocês. Sempre aprendendo. Obrigado por isso.
Uma boa forma de potencializar seu ranking com LSI é colocar sua palavra chave no google e olhar todos os resultados similares que aparece no final da página. Usar os 3 principais de acordo com seu texto ajudará bastante no rankeamento! ;)
Renato Mesquita
Pedro Renan
Muito bom, Pedro! Ótima dica também!
Gustavo  Buonacroso
Muito legal Renato.
Só tenho uma dúvida e gostaria que você pudesse me ajudar. Nos elementos indicados pelas tags , H1 - H2 - H2 - H3
.... é correto que eles estejam sempre em ordem crescente não podendo por exemplo sair de um parágrafo com
e iniciar outro com ? Eles devem sem no formato: H1 - H2 - H2 - H3 - H3 H3- H4 ....?
Renato Mesquita
Gustavo Buonacroso
Fala Gustavo, tudo bem?
Para usar os heading tags é essencial que você siga uma estrutura lógica para manter a estrutura da sua página bem organizada para o buscador. No caso, a melhor forma de utilizar seria H1 (apenas uma vez na página), H2, H2, H3 (Caso exista algum subtópico dentro do H2), H2, H2, H2.
Só continuaremos aprofundando nas camadas das tags caso seja necessário continuar aprofundando em um tópico de algum H2. Caso isso não ocorra, seu conteúdo deverá conter apenas H2s.
Espero ter ajudado!
Boa matéria.
Renato Mesquita
Fernando Henrique
Fernando, muito obrigado!
Have a Suggestion?