Profissionais da área de Marketing ou não, milhões de usuários criam conteúdo todos os dias. Seja em redes sociais como instagram, reddit ou twitter, além de sites e blogs corporativos.

Em meio a tanta informação, planejar e construir conteúdos relevantes (e efetivos) têm sido um grande desafio — principalmente diante da diversidade dos públicos existentes.

O lado bom é que tais públicos deixam seus “rastros” de consumo enquanto devoram os conteúdos apresentados. Isso nos permite montar perfis de clientes específicos, otimizando o conteúdo oferecido e seu desempenho na estratégia de comunicação do seu negócio.

Mas como o perfil do cliente pode nos ajudar no planejamento e distribuição do conteúdo? Separei 4 ações para você implementar na rotina de conteudista. Vamos lá!

1. Identifique as personas

Sabe quando você dedica aquele tempo e energia pesquisando o perfil dos clientes mais engajados?

E quando acaba descobrindo o quanto em comum eles têm? Idade, gênero, preferências sociais, formação acadêmica, segmento profissional, objetivos de vida...

A convergência dessas informações numa amostra significativa — ou seja, um padrão de características e necessidades do seu cliente — é o que chamamos de persona.

Cada tipo de negócio pode apresentar diferentes personas, dependendo da variedade de serviços que sua empresa oferece. 

Peguemos como exemplo o Rock in Rio. O festival, que conta com uma forte estratégia de comunicação em diversos canais, apresenta um público de faixa etária variada — de adolescentes até idosos, ambos os gêneros e incontáveis formações e estilos de vida.

O que une esse público tão diverso? Bom, como hoje em dia o festival transcende praticamente todos os gostos, um grupo de consumidores que reúna os mesmos interesses musicais e de entretenimento pode ser representado por uma persona.

A convergência dessas informações numa amostra significativa — ou seja, um padrão de características e necessidades do seu cliente ideal — é o que chamamos de persona. 

Claro que deve haver todo um cuidado ao alinhar o produto (no caso do festival, vai desde o ingresso até as experiências oferecidas ao longo do dia) com a persona ideal.

Se imaginarmos que a persona do festival é bastante ativa nas redes sociais — em especial, o Instagram — seria válido investir em conteúdos que expliquem as features mais recentes do aplicativo, técnicas e tutoriais de como tirar aquela selfie perfeita, por exemplo.

Recomendo o uso do Gerador de Personas, uma ferramenta gratuita disponibilizada na parceria entre a Resultados Digitais e a Rock Content. Ela irá facilitar bastante na identificação das personas de seu negócio.

Perfil do Cliente: Gerador de PersonasFonte: https://geradordepersonas.com.br/

2. Mapeie o comportamento 

Outro aspecto importante na hora de planejar seus conteúdos é mapear o perfil comportamental dos seus clientes.

Existem diversas metodologias que abordam o comportamento humano — a maior parte com embasamento científico. Podemos citar algumas que se destacam no mercado, como o DISC, MBTI e Big Five.

Com a ascensão da inteligência artificial, as então HR Techs passaram a oferecer soluções que processam os perfis comportamentais de maneira ágil e assertiva, eliminando o desgaste operacional e limitado dos testes em papel.

Agora você deve estar se perguntando: 

Ok, mas como isso me ajuda a planejar meus conteúdos?

A gente sabe que cada indivíduo é um universo de motivações e escolhas. Aliás, a natureza peculiar da pessoa impacta diretamente na forma como ela irá absorver e reagir ao seu conteúdo.

No caso da Metodologia DISC, por exemplo, existem basicamente 4 perfis típicos:

  • Dominantes (representado pela cor vermelha): são independentes, motivadas pela obtenção do sucesso, que geralmente conseguem fazer as coisas a seu modo.
  • Influentes (representado pela cor amarela):são otimistas, amigáveis, extrovertidos, calorosos e abertos em relação às pessoas, atuando de maneira sociável e gregária.
  • eStáveis (representado pela cor verde): são pacientes e pouco exigentes, que encaram a vida de forma ponderada e estável, frequentemente mostrando empatia e lealdade àqueles que o cercam.
  • Conformes (representado pela cor azul): são detalhistas e prezam pela qualidade. Por serem desconfiados e contidos, costumam estar sozinhos e expressar pouca emoção.

Perfil do cliente: comportamentoDominantes, Influentes, eStáveis e Conformes

Para cada um dos quatro perfis, você pode aplicar estratégias de comunicação escrita, oral e visual na hora de planejar o seu conteúdo.

Enquanto um cliente de perfil dominante optaria por conteúdos mais objetivos e que lhe ajudem a alcançar seus objetivos, um cliente conforme reagiria melhor a conteúdos ricos em detalhes e autoridade no assunto.

Faça uma análise da base de clientes e do público potencial e veja como eles se encaixam nas características descritas acima. Se possível, busque parcerias com empresas que ofereçam a inteligência comportamental.

Plataforma de Conteúdo da SEMrush

Dê Força à sua Estratégia de Conteúdo com Dados

ADS illustration

3. Interaja nas redes

Se pensarmos que os clientes mudam de preferências constantemente, é natural a necessidade de acompanhar seus movimentos nas redes sociais.

Um cliente de perfil ativo nas redes tende a exigir mais dos seus conteúdos, tanto em termos de profundidade, periodicidade, variedade e até mesmo personalização.

Tal cliente provavelmente busca referências, indicações e validações dentro de sua rede. Por isso, é fundamental que seu conteúdo atinja positivamente não só esse cliente, como também seus contatos próximos. 

Gerar diálogos e interações (sem forçar a barra, é claro) nessas horas irá te dar muitos insights no momento de planejar conteúdos futuros.

Afinal, o cliente tende a se abrir mais entre as pessoas de confiança, sinalizando novos interesses, dúvidas, desejos e até mesmo reclamações — seja do serviço ou da experiência com seus conteúdos.

Um cliente de perfil ativo nas redes tende a exigir mais dos seus conteúdos — em termos de profundidade, periodicidade, variedade e até mesmo personalização.

Já um cliente mais tímido nas interações sociais pode indicar que ele ainda está em dúvida quanto a autoridade e utilidade do seu conteúdo — ou até mesmo esperando que você inicie um contato mais próximo.

Nesse caso, conteúdos interativos e aprofundados nos problemas que esse cliente costuma passar são recomendados.

[ebooks-promo slug="semrush-para-redes-sociais-145649697"]

Apenas tenha cuidado: alguns clientes podem ser extremamente rigorosos e conhecedores do tema que seu conteúdo trata. Não confunda pouca interação com falta de informação e direcione sua comunicação de forma mais objetiva e específica, ok?

4. Invista em ferramentas 

Agora que já falamos de persona, comportamento e presença digital, vale destacar também o papel das ferramentas de análise do conteúdo ideal. 

Como a estratégia de conteúdo geralmente vai englobar tanto o inbound marketing quanto o outbound marketing, algumas ferramentas tornam-se uma bela mão na roda ao planejar conteúdos mais técnicos e recorrentes.

Uma delas é o Perfil de Cliente Ideal — ou ICP (sigla em inglês para Ideal Customer Profile). Mesmo com a produção de conteúdo assumindo diferentes papéis em sua estratégia de negócio, todos eles convertem para o momento principal: a compra da solução oferecida.

Assim como na construção da persona, o ICP também utiliza perguntas para guiar o usuário no entendimento do seu público; a diferença fica por conta dessa ferramenta focar no processo de decisão e compra dos clientes.

A Reev, em parceria com a Rock Content, oferece gratuitamente um gerador de ICP. De maneira bem simples e intuitiva, você responde a perguntas sobre sua empresa e, de forma inteligente, a ferramenta gera um documento com o perfil ideal do cliente.

Perfil Ideal do ClienteFonte: https://www.seuclienteideal.com.br/

Outra aposta para turbinar sua estratégia de conteúdo é descobrir o perfil de aprendizado do seu cliente.

Já que grande parte dos conteúdos são informativos, voltados para aprendizado e descoberta e reconhecimento de problemas que o cliente enfrenta (mas não sabe lidar e precisa de orientação), ter a consciência de como o outro lado absorve melhor seu conteúdo pode lhe garantir uma ótima vantagem competitiva.

A PNL — Programação Neurolinguística, que avançou muito nos últimos anos, fornece uma ótima abordagem sobre como as pessoas aprendem e se comunicam. Nessa linha de estudos, uma pessoa apresenta três perfis de interação: auditivo, visual e cinestésico.

Para cada um desses perfis, certos formatos de conteúdo impactam de maneira mais efetiva o consumidor.

Por exemplo, uma pessoa que é mais auditiva tende a absorver melhor podcasts e textos que incluam peças sonoras (ou referências musicais mesmo).

Já uma pessoa mais visual irá encontrar valor em conteúdos ricos em imagens, animações e vídeos.

Se você garantir um design atraente ao longo dos recursos visuais, é bem provável que o cliente de perfil visual guarde na memória sua empresa por um longo tempo — mesmo que não compre naquele momento.

Vale ressaltar a importância de alinhar os recursos disponíveis em sua equipe de conteúdo com os objetivos de cada projeto e os clientes envolvidos.

Como existe um universo de ferramentas auxiliares (e boa parte delas são pagas), planejar o conteúdo também requer consciência financeira do seu negócio, atentando sempre ao ROI de cada projeto.


Acompanhe as tendências

Como a criação de conteúdo envolve fortemente áreas sensíveis a inovação (Marketing e Tecnologia, principalmente), mantenha-se diariamente antenado nas melhores práticas do mercado, referências de conteúdo, cases de sucesso e eventos que abordam o tema.

Todo esforço ao planejar e criar seus conteúdos será um diferencial positivo no que é oferecido ao cliente e, consequentemente, na lucratividade do seu negócio ao longo prazo.

Espero que as dicas te ajudem bastante na hora de colocar a mão na massa e produzir os melhores conteúdos para seus clientes. Sucesso!

Assiste o Webinar "SEMrush para Gestão de Mídias Sociais"

Author Photo
Gabriel CoutinhoRedator pela ETALENT e Escritor. Graduando em Letras pela UNIRIO. Carioca de carteirinha e apaixonado por rock, cachorros e The Office US. Viciado em palavras cruzadas e Vasco. Tipo, muito.
More about Marketing de Conteúdo