Tendências 2018 de Marketing Digital: Mídias Pagas

Este artigo é o primeiro da série “Tendências 2018 de Marketing Digital”. Para te ajudar a preparar melhor a sua estratégia para o novo ano, convidamos 8 especialistas que vão compartilhar as principais tendências de áreas de SEO, PPC, vídeo marketing, inbound marketing, SMM, growth hacking, marketing de conteúdo e geração de leads.

Este post é o resumo do webinar “Tendências 2018: Mídias Pagas” com Felipe Spina.  


Será que mídias pagas ainda funcionam e trazem resultado?

Claro que sim!

O mercado de mídias pagas está em constante desenvolvimento, por isso é tão importante estar sempre atualizado e preparado para testar as novidades.

Felipe Spina, que cuida da área de mídias pagas na agência Resultados Digitais compartilha as principais áreas que merecem a sua atenção.

  1. Trabalhar os formatos

Todo dia estão surgindo formatos novos.

Temos o newsfeed da Facebbok, lateral direita, newsfeed mobile, Instagram ads, Instagram stories e muitos outros.

É importante explorar todos, criando campanhas direcionadas para cada formato.

O próprio Facebook ajuda bastante a ser criativo na hora de explorar os formatos disponibilizando uma página com todas as informações sobre formatos atuais, tamanhos da imagem, texto e vídeo e um guia de modelos e design disponíveis.

Essas páginas servem de inspiração para trazer anúncios diferentes e chamativos para a sua página.

Algumas ferramentas que podem te ajudar na hora de trabalhar os formatos

  • BigBig Ads (permite analisar os anúncios do seu concorrente ou da sua área, descobrindo formatos, linguagem, e imagens)

  • Crossborder Insights Finder (compara os anúncios do Brasil com outros países, descobrindo os principais insights sobre taxa de conversão, custo de conversão, concorrência, potencial de alcance e a sazonalidade na sua área

  • SEMrush (ajuda a obter ideias de anúncios se inspirando nas campanhas de concorrentes)

2. Criar campanhas de retargeting

O retargeting é uma ferramenta que permite recuperar leads quentes que já passaram por páginas que indicam a intenção de compra, por exemplo:

  • Página de preços

  • Carrinho de compra

  • Pedido de orçamento

  • Onde comprar

  • Certos posts de blogs (por exemplo, oferecer um conteúdo avançado para pessoas que leram o artigo sobre esse tema no seu blog)

Não deixe de fazer campanhas direcionadas para usuários que visitaram essas páginas!

3. Fazer testes A/B com formatos e canais

Não vale lançar um anúncio só e dizer que não deu certo.

É importante testar todos os elementos para descobrir qual cor, texto, imagem, CTA etc funciona melhor

4. Personalização para Web

Personalização é uma tendência nova que faz uma enorme diferença, oferecendo informações personalizadas para usuário que entra no seu site ou visualiza seu anúncio.

Coletando as informações sobre o usuário na primeira visita você consegue descobrir a geolocalização e o gosto e interesses dele para poder adaptar a página para a próxima visita dele. Quando o usuário voltar terá a página na língua dele com endereços e opções de entrega locais e as sugestões de produtos ou artigos que estão de acordo com as preferências dele.

Você pode personalizar alguns campos (por exemplo, o nome do usuários), criar áreas dinâmicas (por exemplo, blocos de sites oferecendo produtos interessantes para este usuário) ou fazer campanhas integradas

5. Account-Based Marketing (ABM)

ABM é um conceito ligado à geração de leads. ABM é responsável pela nutrição de leads chaves através de campanhas personalizadas e construção de relacionamento de longo prazo.

A LinkedIn é a ferramenta que ajuda muito a alcançar as pessoas responsáveis pela tomada de decisão nas empresas-chave, mas você também pode fazer o retargeting para os visitantes do seu site ou segmentar contatos por email.

6. Data Provider (Fornecedor de Dados)

Mais uma tendência quente de 2018 - uso de um provedor de dados para encontrar leads mais qualificados.

Entre os melhores provedores de dados estão Serasa Experian, Tail e Navegg.

Essas ferramentas permitem encontrar pessoas com certos interesses ou caracteristicas.

7. Lead Enrichment

Lead Enrichment é uma tática que foca em enriquecimento de leads já existentes ao invés de geração de leads novos.

A ideia é de solicitar o mínimo de dados possíveis nos formulários, completando as informações faltantes com os dados dos terceiros

Existem empresas (ex Econodata, Okapi, Intexfy etc) que conseguem enriquecer a sua base de dados, providenciando informações sobre empresa, número de funcionários, área de trabalho, telefone, cidade do seu lead e muito mais

8. Dashboards e Tracking

Mensurar seus resultados é a chave de sucesso. Rastreando o que deu certo e o que deu errado você consegue ajustar as campanhas, otimizando os resultados.

Às vezes o monitoramento e a mensuração podem ser feitos manualmente, mas é sempre melhor contar com a ajuda de ferramentas especializadas, por exemplo, Dashgoo, Keepi.media, Datastudio do Google

Conclusão

2018 promete! Vão surgir canais novos ( e o YouTube está entre eles), mas os anúncios tradicionais continuam existir e ainda merecem ser explorados.

Não existe certo ou errado na área de mídias pagas. O importante é testar e lembrar que não é possível ter resultados diferentes se você continuar fazendo tudo igual!

Você pode assistir o webinar “Mídias Pagas em 2018 - Tendências e Melhores Práticas” aqui.

E você, quais tendências de Mídias Pagas acha que serão mais importantes em 2018? Compartilhe conosco nos comentários!

.

Comentários

Add a comment