Envie um artigo
Ir ao blog

Principais Erros de SEO que Você Pode Evitar: Q&A

78
Wow-Score
A pontuação Wow-Score mostra o quão atrativa é uma postagem de blog. É calculada com base na relação entre o tempo de leitura de usuários ativos, a velocidade de rolagem e o tamanho do artigo.
Saiba mais

Principais Erros de SEO que Você Pode Evitar: Q&A

Maria Chizhikova Marques
Principais Erros de SEO que Você Pode Evitar: Q&A

Semana passada convidamos 4 especialistas da área para discutir os principais erros de SEO durante uma Mesa Redonda online.

Tivemos uma discussão animada que resultou em tantas perguntas que resolvemos preparar um post de blog para tirar todas as dúvidas de nossos ouvintes.

Se você participou da mesa redonda e a sua pergunta não foi respondida, esse post é para você! Se você não participou, sugiro que ainda assim confira as respostas abaixo, já que pode encontrar informações úteis e tirar algumas dúvidas suas.

Se a sua pergunta não está nessa lista, por favor, a poste nos comentários, responderemos em breve!

Antes de começar com as dúvidas, queria apresentar os palestrantes da mesa redonda, que vão responder hoje:

  • Ewerton Silva - Analista de SEO na Resultados Digitais
  • Paulo Sebin - Jornalista especializado em marketing de busca na K2 Comunicação, a frente de dezenas projetos de otimização para grandes marcas no Brasil.
  • Miguel Brandão - Autor do blog Maiswebmarketing.com, responsável por projetos de serviços de Marketing Digital: SEOlabs e Mkt2digital
  • Eduardo Storini - Especialista de Marketing Digital da WSI Digital Marketing

Principais dúvidas:

Thiago: "Como proceder com um site que está muito bem otimizado e vem perdendo posicionamentos no Google?

Ewerton: Oi Thiago! Antes de tomar qualquer atitude, é importante entender o motivo dessa queda. Pode ter sido alguma mudança no site, alguma punição do Google ou até uma melhora nas estratégias dos concorrentes.

Acesse o Google Search Console e verifique se não tem nenhuma ação manual contra o site (tem um menu lá só disso), se você usa alguma ferramenta de SEO, como a SEMrush, faça um diagnóstico do seu site e veja se tem algum problema e se isso se agravou nos últimos tempos, avalie se você recebeu alguma punição do Google (criei um passo a passo em um post sobre Black Hat).

Aí sim, com o motivo da queda em mãos, precisa ter uma estratégia para reverter essa situação. Minha recomendação é, após o diagnóstico, pesquisar na internet (inclusive em sites que não são em Português), como reverter essa situação.

Isabella: tenho um site autoridade. Posso usá-lo para linkar outros sites meus para aproveitar a autoridade dele?

Eduardo: Sim, você pode usá-lo, porém é importante ressaltar que seja avaliado a nicho ao qual ele pertence, já que se for um segmento totalmente diferente do site ao qual você pretende linká-lo, talvez não tenha o efeito esperado. Eu avaliaria melhor a necessidade e como utilizá-lo. É necessário mais informações para ti passar uma resposta mais completa.

Campanha de SEO bem-sucedida requer atividades em todas as frentes: concorrência, palavras-chave, linkbuilding,on-page e otimização técnica. Várias ferramentas são necessárias para coordenar os esforços, o que pode ser bastante caro. A SEMrush resolve esse problema com uma caixa de ferramentas all-in-one, contendo 17 ferramentas para todas as áreas de SEO. Este ebook vai te guiar por todas elas, mostrando...

Obtenha PDF gratuito

Mateus: Um dos subdomínios pode influenciar o domínio principal? Positivamente ou negativamente no "rankeamento"?

Paulo: Há diversos ângulos e possibilidades a serem analisados nessa questão. O uso de subdomínios depende muito dos objetivos e da organização de um site. Vamos analisar o lado bom e ruim de subdomínios.

O lado negativo: Subdomínios não influenciam posicionamentos do domínio principal, nem vice-versa.

Não há distribuição de link juice, ou seja, não ocorre a transferência de relevância entre as páginas de subdomínios e domínio principal. Isso acontece porque quando o link (seja interno ou externo) referência um subdomínio, o benefício do link não é compartilhado com outros subdomínios.

Quando o link referência um diretório, o domínio tem valor agregado a ele.

É comum usar subdomínios para separar multilíngues. Entretanto, por experiência própria, o uso de diretórios para conteúdo em múltiplas línguas que vai competir por posicionamentos do Google de diferentes partes do mundo (.com, .com.br, .pt, .fr) tem maior probabilidade de sucesso se todas essas línguas compartilharem do mesmo Trust do domínio principal, ou seja, distribuição de link juice entre os diretórios.

Se adotar subdomínios para multilingues, cada um será visto como um site diferente, e sendo assim, o conteúdo que receber backlink da versão em francês não vai compartilhar link juice para outras línguas que estão separadas por subdomínios.

O lado estratégico: Apenas para caráter de exemplo, subdomínios são úteis para competir com palavras-chave de baixa competitividade e volume, não por isso deixam de converter qualitativamente.

Por exemplo, o meu site http://www.paulosebin.com.br aborda sobre o universo de SEO em geral, porém, o meu blog subdomínio http://marketingmedicoeodontologico.paulosebin.com.br/ trata apenas da divulgação de marketing de busca para médicos e dentistas. Fica mais lógico separar temáticas tão distantes. O lado bom é que o subdomínio está tendo autoridade independente só para tal segmento, mas por conta do trabalho de link building, conteúdo, não pelas distribuições de links.

1.png

Concluindo, se sua intenção é ter sucesso em autoridade e transferência de relevância entre os subdomínios ou o site principal, um não afeta o rendimento do outro. O que vai determinar posicionamento é a qualidade do conteúdo de cada subdomínio e também a qualidade dos backlinks que cada subdomínio irá receber, lembrando que a relevância e autoridade são transmitas independente de cada um, sem distribuir entre eles. É como se cada subdomínio fosse um site separado a esse mérito.

Edison: "Tenho uma dúvida com relação ao Google Webmaster, no relatório monstra uma palavra em uma posição ex: 4 mas quando consulto não aparece, como funciona esta parte no google webmaster?"

Miguel: Olá Edison, então, nesse relatório do Search Console é uma média da posição dessa keyword no determinado período que estamos a consultar. Portanto o melhor mesmo será utilizar uma ferramenta diferente do Search Console para saber exatamente a posição das keywords no Google. Algumas ferramentas que pode utilizar: SEMrushSerpLab.co.uk(gratuita) e esta aqui também gratuita, whatsmyserp.com

Matheus: Vocês tem sugestões de ferramentas ou métodos para otimizar o tempo e o resultado em campanhas de Marketing Digital, especificamente no aspecto de SEO?

Ewerton: Oi Matheus! O que eu posso te dizer é que se você quer trabalhar SEO de verdade, você PRECISA de uma ferramenta que te ajude (ou então terá que contratar muitos analistas, o que com certeza sairá mais caro).

Considero a SEMrush a ferramenta com o melhor custo benefício de mercado pensando em SEO, pois permite fazer pesquisa de palavras-chave de uma forma prática e inteligente, possibilita acompanhar e comparar com os concorrentes, além de toda a parte de diagnóstico do site, de backlinks etc. Eles sempre estão lançando novas funcionalidades para tornar a nossa vida mais fácil (falando como Analista de SEO).

Também uso muito o RD Station para análise de resultados reais das estratégias, como geração de leads, oportunidades e vendas, e também para fazer o diagnóstico de páginas e desenvolver landing pages otimizadas. Recomendo considerar também.

Por fim, eu tento evitar o uso de planilhas e trabalhar diretamente nas ferramentas, mas tem momentos que você não vai conseguir fugir delas.

Gisele: Em relação a uma página otimizada para determinada palavra chave. Como o Google analisa os demais links da pagina que possuem a palavra chave? Na verdade gostaria de saber sobre a quantidade aceitável de links internos com a palavra chave.

Eduardo: Não existe uma quantidade máximo ou mínimo, porém o que eu recomendo se área útil de conteúdo conter um número de 400 a 600 palavras, até no máximo uns três links internos são aceitáveis, porém se você tiver produzindo uma lista de indicações e resolver linkar todas as indicações esse número de links será superior. Acredito que a regra mais certa a se seguir aqui, é que cada artigo contenha pelo um link interno.

Pablo: É válido colocar video na descrição do produto, ele ajuda sendo o mesmo uma embed do Youtube?

Paulo: Não há evidências de que o algoritmo beneficie diretamente em posicionamento uma página só porque possui um "embed" de vídeo, seja Youtube ou plataforma qualquer. Entretanto, vídeos geram uma ótima experiência para o usuário e tem os seguintes benefícios:

  • Aumenta o tempo de permanência do usuário na página, afinal, se o vídeo for realmente relevante e relacionado com o conteúdo da página, ele vai desejar assistir ao vídeo até o final.

  • Vídeos podem ser mais persuasivos do que qualquer texto, o que pode ajudar na taxa de conversão do seu negócio online.

  • Se o vídeo for bom e relevante, usuários podem compartilhar a sua página só por causa da presença do vídeo.

  • Aumento de CTR nos resultados orgânicos caso a implementação das marcações de dados (mais detalhes abaixo) tenha sido aplicada corretamente e Google exiba as informações adicionais nos resultados de pesquisa.

Marcação de dados para vídeos

É importante implementar via Script J-SON ou microdatas informações sobre o vídeo, pois o os buscadores têm dificuldades para obter uma série de informações, como descrição, por exemplo. Recomendo o guia de ajuda sobre marcações de vídeos no HTML.

Modelo

<script type="application/ld+json">

{

 "@context": "http://schema.org",

 "@type": "VideoObject",

 "name": "Title",

 "description": "Video description",

 "thumbnailUrl": "https://www.example.com/thumbnail.jpg",

 "uploadDate": "2015-02-05T08:00:00+08:00",

 "duration": "PT1M33S",

 "publisher": {

 "@type": "Organization",

 "name": "Example Publisher",

 "logo": {

 "@type": "ImageObject",

 "url": "https://example.com/logo.jpg",

 "width": 600,

 "height": 60

 }

 },

 "contentUrl": "https://www.example.com/video123.flv",

 "embedUrl": "https://www.example.com/videoplayer.swf?video=123",

 "interactionCount": "2347"

}

</script>

Carlos: "Ocultar a data de publicação dos posts para que não apareçam nas SERPS melhora o posicionamento? Nos posts do meu site as datas não aparecem porque estão desativadas, mas aparecem nas SERPS, como fazer para que não apareçam?

Miguel: Olá Carlos. Ocultar a data de publicação dos artigos não interfere em nada na melhoria do ranking no Google. Embora hajam estudo e testes que a data pode pode influenciar no CTR. Agora, imagine que tem um artigo seu que está na primeira página do Google e que mostra uma data antiga, será que o seu resultados no Google vai receber cliques por parte dos usuários? Dá uma sensação de conteúdo desatualizado… Recomendo que leia esse meu artigo(case) sobre esta questão.

No seu caso, se na SERP mostra a data, terá de ver a template, ou se está a utilizar um Plugin para remover a data ou outra coisa qualquer, seria necessário analisar melhor algumas questões do seu site.

Enio: "Quais os cuidados devo ter ao migrar de servidor e CMS para não perder todo ativo construído com SEO ao longo do tempo?

Ewerton: Enio, realmente são vários os cuidados que você precisa ter nesse momento. Uso como base um artigo da Seer Interative que contém todos os passos importantes para isso e ainda possui um checklist. Você pode acessar aqui: Website Migration SEO Checklist

Jonatan: "Seria um erro de SEO aplicar nos conteúdos uma série de links internos e não se preocupar com os links externos?

Eduardo: Não, porém os links externos irão ajudar no longo prazo a construir a relevância e autoridade do seu site. Neste caso, em algum momento você terá que se preocupar com essas estratégias.

Pablo: há uma forma de verificar quais as últimas postagens e cadastros de um determinado site pelo Google?

Paulo: Ao que compreendi da pergunta, seria como fazer para descobrir as últimas publicações de um site indexados pelo buscador. Se for isso, recomendo a seguinte prática:

No campo de busca do Google, digite site: e em seguida o domínio que pretende analisar. Selecione um período mais recente e o buscador mostrará as últimas páginas indexadas, conforme exemplo a seguir.

2.png

Pablo: "Queria saber se os conteúdos duplicados que aparecem no Search console sendo duplicado porque o Google ve a página de busca de um produto como uma página duplicada afeta muito e como poderia resolver isso sendo que a plataforma não ajuda em Tecnologia?

Miguel: Olá Pablo. Por aquilo que percebi, lá no Search Console se clicar em cima do link do respetivo link duplicado (http://prntscr.com/ghl6vl ), você consegue ver quais as páginas duplicadas e resolver. Para solucionar essa questão, usar a tag Canonical pode resolver, recomendo que leia esse artigo do Google.

Jonatan: Quanto ao uso das palavras-chave, é obrigatório utilizá-la na sequência correta de palavras? Ou podemos usar sinônimos e mesmo assim ficar bem ranqueados?

Ewerton: Oi Jonatan, vou te passar como eu faço, ok?

Geralmente defino entre a palavra, suas variáveis e seus sinônimos, a que tem o maior volume de buscas como a principal, que trabalho no title, URL, description, título e também durante o próprio conteúdo.

Mas tenho o cuidado de usar suas variações e seus sinônimos durante todo o conteúdo, para mostrar para o Google que o post é completo sobre o assunto e é relevante quando o usuário pesquisar de uma forma diferente.

Lembre-se que usar a palavra-chave ainda é muito importante e faz toda a diferença, porém não adianta incluir só por incluir, pois isso vai diminuir a qualidade do conteúdo. É preciso ter contexto e fazer sentido para o usuário.

Você pode acessar o artigo que temos no blog da Resultados Digitais sobre busca semântica, para saber mais.

Tiago: é possível trocar uma url sem ser penalizado?

Eduardo: Você não será penalizado se trocar de URL, o máximo que pode acontecer é o buscador perder a referência antiga e você não ter mais um resultado posicionado no Google. Por isso sempre que há uma troca de URL e se fizer sentido, colocar um redirecionamento do tipo 301 ou 302 apontando para o novo destino.

Fernanda: O que pode gerar o erro, quando o visitante vai parar na página 404 error?

Paulo: Nos relatórios de retornos HTTP 404 no Google Search Console, seja para uma página amigável ou pelo padrão do sistema, significa que há certo tempo tais endereços eram indexados pelo buscador e passaram a não existir pelos seguintes fatores:

  • A página foi removida, sem aplicar redirecionamentos.

  • O endereço URL foi alterado, isto é, a página em si existe, mas o URL mudou sem redirecionamento, sendo assim, o buscador não vai compreender a mudança de endereço, vai entender como ter sido apagado.

  • O site ficou fora do ar, e ao invés de retornar erro HTTP 500 (servidor), por exemplo, já vi casos de retornar HTTP 404.

  • Links internos quebrados, seja por conta das mudanças de URL´s ou por problemas do site.

O Google Search Console mostra os erros 404 por ordem de importância. Recomendo sempre analisar os 100 primeiros apontamentos e verificar o quanto tais páginas eram importantes. A ferramenta também mostra de onde há links internos apontando para os endereços com erros, e recomendo corrigir tais links ou aplicar redirecionamentos, se necessários.

De maneira mais ágil, por meio de relatórios em planilha, sugiro passar o robô Screaming Frog ou Xenu (esse é bem antigo, mas ainda útil) e assim obter todos os apontamentos de links quebrados que retornam os erros 404.

Lucas: Qual a estratégia realmente funciona atualmente?

Miguel: Olá Lucas. Essa é a pergunta de 1 milhão de dolares :D. Dependendo do nicho e da concorrência e também de como o seu site está optimizado, o que funciona é você criar as respostas em seus artigos o mais completas possíveis para as perguntas que os usuários fazem no Google. Um bom estudo de termos e keywords e uma linkagem interna ajuda muito. Não esqueça que criar um artigo optimizado e focado na resposta para o usuário e depois para o Google também ajuda… Não se esqueça também que são mais de 200 fatores que o Google leva em conta para dar um ranking às páginas do nosso site.

Quer saber ainda mais sobre os principais erros de SEO e como evitá-los? A SEMrush preparou uma pesquisa 40 principais erros de SEO e um PDF completo, explicando como concertá-los.

E então, sobrou mais alguma dúvida, pergunta ou comentário? Os esperamos nos comentários para continuar essa conversa!

Gostou desta postagem? Siga-nos no RSS e leia mais postagens interessantes:

RSS
Apaixonada por viagens, música e marketing digital, represento a SEMrush no mercado brasileiro e português.
Compartilhar esta postagem
or

Comentários

2000 caracteres restantes
 Miguel Brandão
Vamos a isso, estou aqui para ajudar!
Grande abraço a todos.

Enviar feedback

Your feedback must contain at least 3 words (10 characters).

Só vamos utilizar este email para te enviar a resposta para o seu feedback. Política de Privacidade

Thank you for your feedback!