Ir ao blog

Local Link Building e E.A.T, Marie Haynes conversa com Carol Peres sobre o futuro do Link Building

92
Wow-Score
A pontuação Wow-Score mostra o quão atrativa é uma postagem de blog. É calculada com base na relação entre o tempo de leitura de usuários ativos, a velocidade de rolagem e o tamanho do artigo.
Saiba mais

Local Link Building e E.A.T, Marie Haynes conversa com Carol Peres sobre o futuro do Link Building

Carolina Peres
Local Link Building e E.A.T, Marie Haynes conversa com Carol Peres sobre o futuro do Link Building

Olá caros amigos desse blog lindo! Hoje eu tenho uma super entrevista para apresentar a vocês.

Mas, antes de mais nada vou contar uma história que culmina em um orgulho arrebatador.

Eu comecei a trabalhar no mundo do SEO em 2012. No começo, fiquei muito assustada com tanta informação, termos, nomenclaturas, regras, algoritmos… tudo, absolutamente, tudo me intimidava.

De lá para cá eu convivi com pessoas maravilhosas que me ensinaram muito. Sou muito grata a cada uma, porque hoje, graças a elas e a meu empenho, eu posso estar aqui, escrevendo para esse blog que é referência em conhecimento e difusão de informação relevante aos profissionais de marketing digital.

É por isso que, até hoje, eu me inspiro muito. E uma das minhas inspirações é a Marie Haynes. Quem é do mundo do SEO, principalmente do Link Building, conhece muito bem Marie. Ela, além de ser uma pessoa extremamente solícita, é dedicada a entender as mudanças de algoritmos do Google, além de auxiliar empresas, ao redor do mundo a melhorar sua presença no Google, sempre com foco em seguir os guides de boas práticas.

Como eu sou porreta, fui atrás dela. Decidi não ficar apenas lendo sua newsletter. Decidi conversar, entrevistá-la (já que sou jornalista de formação). Foi aí que tive uma surpresa. Ela me respondeu!

Ai meu “corassaum”

marie-haynes.jpg

As respostas estão a seguir. Então, aproveite esse bate papo e prepare suas estratégias de Link Building para o futuro!

Carol Peres: Aqui no Brasil, Link Builders trabalham muito com Guest posts. Contudo, lemos aos tufos, por aí, artigos que dizem que o Guest post morreu. Isso é verdade? Por quê?

Marie: Acredito que existem lugares onde o Guest Post ainda é valioso. No entanto, em muitos casos, gastar dinheiro (publi, por exemplo) não vai te trazer um bom retorno.

Se você está trabalhando para uma empresa local, poderá obter ótimos resultados ao publicar um guest post em um blog ou portal. Clientes potenciais podem ler e converter. E claro, isso pode te dar uma boa exposição.

Se, por sua vez, você está tentando criar um reconhecimento de marca, o guest post também é uma ótima opção. Se você conseguir uma inserção em um blog com autoridade, melhor ainda. Esse post poderá ter muitos leitores e isso vai ser ótimo para sua marca.

O Guest post também ajuda a melhorar o seu E.A.T (Expertise, Authoritativeness and Trust), o que é muito importante para os rankings nos dias de hoje.

Agora, se o seu principal objetivo com o guest post é conseguir o máximo de links possível, essa não é uma boa estratégia. Seja com Guest Post ou qualquer outro meio. Ao meu ver, conquistar muitos links sem analisar a qualidade deles pode ser facilmente interpretado como um esquema de links do Google.

guest-post-nao-morreu.gif

Carol Peres: Links tóxicos, qual é a atenção que, realmente, devemos dar?  

Marie: Acredito que as pessoas estão excessivamente preocupadas com links spammy. Se você tiver um súbito de links de qualidade baixa apontando para o seu site, o novo algorítimo do Penguin é realmente bom em ignorar.

Em setembro de 2016, o Penguin deveria ignorar links não naturais. Mas, acredito que existem outros algoritmos que podem te causar supressão se você tiver um grande número de links artificiais apontando para você.

Os tipos de links ruins que acredito terem o poder de prejudicar um site são aqueles feitos especificamente com a intenção de manipular o ranking do Google. Isso inclui links pagos, uso excessivo de guest post e uso excessivo de links em widgets. Se você tem muitos links desse tipo, é possível que eles estejam causando uma desconfiança por parte do Google.

local-link-building-1.gifMonitor Backlinks BLog - Fonte

Carol Peres: Link Building e R.P. Esse casamento dá liga?

Marie: Sim. Link Building e R.P podem andar de mãos dadas. O tipo de R.P que eu mais gosto é o que se propaga. Por exemplo, se sua empresa anunciar uma nova linha de produtos, provavelmente não receberá muita atenção do público. Mas, digamos que você anunciou em um evento legal para sua comunidade.

A imprensa que faz parte do evento pode propagar sua novidade. É o tipo de imprensa que pode realmente fazer as pessoas mencionarem você. Isso pode resultar em links, reconhecimento de marca e também pode te ajudar a ganhar pontos importantes em seu E.A.T.

rp-e-link-buidling.gif

Carol Peres: Na patente do Panda, podemos ler que menções à marca são tão importantes quanto um link. Podemos considerar isso uma tendência?

Marie:

Isso também podemos definir como E.A.T. O Google pode reconhecer quais menções são menções de autoridade. Eles podem determinar que uma menção na seção de contribuintes da Forbes não é autorizada, mas uma menção feita por um jornalista em uma matéria da Forbes que procura ativamente por boas notícias é realmente algo atrativo.

google-panda.gif

Uma coisa que fazemos em nossas análises de sites é verificar se o site do cliente e os sites dos concorrentes estão sendo mencionados ativamente em locais autorizados. Acredito que a grande atualização do algoritmo lançada em 7 de fevereiro de 2017 foi o Google colocando ênfase no E.A.T e procurando ver quais empresas são realmente reconhecidas como autoridade em seu nicho de atuação.

Carol Peres: Sobre nicho de atuação e links, como podemos medir a relevância neste caso?

Marie:

Eu não sei se alguém em SEO realmente sabe quão importante é a relevância. No passado, dizíamos que link é link e tentávamos obter quantos links fosse possível. Agora, minha intenção, se estou tentando fazer link Building é ganhar links que as pessoas realmente vão clicar.

nicho-de-atuacao-link-building.gif

Se eu tenho um cliente que está no mercado imobiliário e recebo um link de um site sobre decoração de bolo, o mais provável é que esse link não receba muitos cliques. Mas, se eu puder conquistar um link em um site de decoração para casa que esteja vinculado a um artigo que eu escrevi, que inclua estatísticas sobre estatísticas de vendas de imóveis, isso é bem relevante.

Ao invés de me ater à relevância, gosto de analisar a “clicabilidade”. Há uma patente do Google que fala sobre como eles podem rebaixar uma página se percebem que essa página tem uma carga de links que nunca são clicados. Isso nos diz que o Google pode determinar se um link recebe cliques. Eu acho que o Google pode confiar mais em links com os quais os usuários estão envolvidos. E, é mais provável que isso aconteça em sites relevantes.

Carol Peres: Estamos observando uma tendência para o Local Link Building, vale a pena mesmo?

Marie:

Claro! Em alguns casos, obter um pequeno número de links locais pode ter efeitos maravilhosos. Eu amo local link building. Por exemplo, crie um guia que seja realmente útil para sua comunidade.

Para um de nossos clientes, eles notaram que as pessoas em sua cidade estavam interessadas em um evento específico que acontecia todos os anos. Mas, não havia nenhum site oficial do evento e nenhuma orientação online com informações. Então, criamos esse guia e isso resultou em alguns links importantes.

Carol Peres: Marie, qual é o seu conselho para os link builders brasileiros?

Marie:

Acredito que, nos últimos anos, o Google tem trabalhado para fechar os truques e brechas que costumavam existir. No passado, você poderia ter um site medíocre e com SEo suficiente, poderia ranqueá-lo.

Mas, agora, se você não é a melhor escolha para o usuário, é difícil classificar. O melhor conselho a dar é gastar tempo lendo as diretrizes dos avaliadores de qualidade e entender os exemplos que eles nos dão.

conselhos-link-builder-brasileiros.gif

Isso ajudará a entender o que o Google considera alta qualidade,  ou não. Vimos que a maioria das atuações recentes parece cobrir coisas mencionadas no QRG.

E foi assim que conversei com minha ídola e de quebra ainda aprendi um pouco mais! Espero que tenham gostado, pessoal. Até a próxima. :)

Gostou desta postagem? Siga-nos no RSS e leia mais postagens interessantes:

RSS
Jornalista, apaixonada por comportamento humano no meio digital, evolução social, filmes e cerveja. Link Builder, especialista em Content marketing e amante do Inblound Marketing.
Compartilhar esta postagem
or

Comentários

2000 caracteres restantes
Tiago Otani
Muito legal Carol, parabéns! O título também funcionou, depois de ver o nome da Mary Haynes fiquei curioso pra descobrir quem seria essa tal Carol Peres!!
Carolina Peres
Tiago Otani
A tal Carol Peres sou eu mesma.. hahaha