pt
English Español Deutsch Français Italiano Português (Brasil) Русский 中文 日本語
Envie um artigo
Ir ao blog

Google anuncia o fim de sua rede social, o Google+

54
Wow-Score
A pontuação Wow-Score mostra o quão atrativa é uma postagem de blog. É calculada com base na relação entre o tempo de leitura de usuários ativos, a velocidade de rolagem e o tamanho do artigo.

Google anuncia o fim de sua rede social, o Google+

Tiago Otani
Google anuncia o fim de sua rede social, o Google+

Falha de segurança

Em março deste ano os engenheiros do Google realizavam uma força-tarefa de revisão das suas APIs de acesso a desenvolvedores externos, quando detectaram uma falha indesejada. Uma brecha semelhante àquela que a Cambridge analytica explorou no Facebook e que levou seu CEO Mark Zuckerberg a depor no congresso americano, aos olhos de todo o mundo. A API do Google+ permitia o acesso a dados dos amigos de seus contatos sem que os mesmos autorizassem ou soubessem dessa possibilidade.

Conforme publicado em seu blog, o Google mantém o registro de requisições e acessos a estas APIs por apenas poucas semanas. Ainda sim seu vice-presidente de engenharia, Ben Smith, afirma não haver qualquer indício de que a falha tenha sido descoberta ou explorada anteriormente.

Mais de seis meses depois, no último dia 8 de outubro o Google anunciou que deverá encerrar sua rede social o Google+ até agosto de 2019. O anúncio não evitou críticas em relação à forma como o possível vazamento de informações foi tratada internamente pela empresa.

googleplus-Tiago-OtaniGoogle-Plus-End

Vale apontar que o encerramento da plataforma não será completo. Existem clientes de perfil enterprise que fazem uso diferenciado das funcionalidades que o Google+ oferece para este tipo de pacote. Segundo o anúncio oficial, estes clientes continuarão com acesso normal. Apenas o usuário comum e as empresas com contas comuns perderão acesso à plataforma.

O Google+ não colou

Além da falha, outra razão que justifica o encerramento do Google+ é a falta de engajamento que a rede social conquistou desde seu lançamento em 2001.

Muitas empresas usam Google+ como ferramenta de SEO, uma vez que o Google valoriza o conteúdo indexado em seus próprios canais. Existe também um tráfego relevante de usuários da rede social no Brasil. Segundo o estudo da OpinionBox, tanto em 2017 quanto 2018 o Google+ foi utilizado por cerca de 15% dos brasileiros, sendo a maior parte destes na faixa etária acima de 45 anos, conforme artigo aqui mesmo no blog da SEMRush.

Redes-Sociais-Tiago-OtaniRedes-Sociais

Porém o fato é que o Google+ não teve a aceitação imaginada e nunca fez frente ao seu principal concorrente, o Facebook. Apesar da credibilidade da marca Google e de contar pontos para o ranking no ferramenta de busca, a rede social não caiu no gosto do público e desde o início muitos artigos trataram do tema, defendendo diferentes hipóteses para justificar o fracasso.

Muitos defendem que a falta de inovação frente ao maior concorrente foi fatal. Outros apontam que o grande valor da ferramenta era mais interessante para o próprio Google do que para o usuário. Explico: o Google é uma empresa que tem como missão organizar as informações produzidas pela humanidade. Sem dúvida um feito e tanto, de valor inestimável. Porém assim como acontece com obrigações domésticas, o gosto das pessoas por informações estruturadas não equivale a um gosto por organizar estas informações. Gostar de um armário arrumado não é gostar de dobrar roupas, e o mesmo acontece com as informações online - por isso a rede social desenhada para os usuários organizarem os dados que compartilham com o Google não decolou.

SEO - casa própria ou alugada?

Não é a primeira vez que uma rede social é encerrada ou perde relevância rapidamente, mas o fim do Google+ nos ajuda a relembrar e reforçar algumas boas práticas em relação à distribuição diversificada e hospedagem própria de seus conteúdos online.

As redes sociais são canais importantíssimos para distribuição de conteúdo e relacionamento de sua marca com o público. Atualmente, fazer o melhor uso desses canais pode ser um diferencial entre o sucesso ou insucesso de muitos negócios. Porém uma estratégia sólida de Marketing de Conteúdo começa pela hospedagem de seus materiais em domínio próprio, em seu próprio site ou blog.

Acompanhando e apoiando o trabalho de centenas de times de marketing parceiros, percebemos que utilizar as redes sociais para se comunicar com diferentes nichos de audiência apontando tráfego qualificado para o seu próprio site é a estratégia que costuma trazer melhores resultados.

Com o visitante em seu site você não compete com as distrações que existem em qualquer rede social e pode colocar em prática as técnicas do inbound marketing para se relacionar com estas pessoas. Seu site e sua marca se tornam referência naquele assunto, seu tráfego orgânico cresce e melhora também o posicionamento de seus conteúdos nas ferramentas de busca.

Mas não é só isso. É importante estruturar a forma como seus conteúdos estão dispostos no seu site. Para quem visita o suas páginas, seja pela primeira vez ou não, é importante que estejam claros os seus valores e objetivos: quem é você, o que você resolve ou acrescenta na vida das pessoas que chegam até sua empresa?

Topic Clusters

Ao estruturar sua estratégia de marketing de conteúdo desta forma você facilita também o trabalho de distribuição dos seus conteúdos, segmentando suas campanhas por Topic Clusters é mais fácil operar, analisar, medir e realizar ajustes em cada frente. Usando metodologias apropriadas e ferramentas acessíveis no mercado, esse tipo de organização também facilita escalar a produtividade de seu time de conteúdo.

Topic-Cluster-Tiago-OtaniTopic Cluster

Para estruturar seu blog em Topic Clusters você não precisa recomeçar do zero. Uma auditoria nos conteúdos já existentes no seu blog deve extrair muito valor e orientar os próximos passos dentro de cada contexto, e representa uma importante fonte de informação e matéria-prima na estruturação da arquitetura de seu blog. No início do ano discuti sobre esse assunto aqui mesmo no blog da SEMrush.

Conclusão - Não dependa exclusivamente de nenhuma rede social

Redes sociais são muito importantes para o marketing mas são apenas canais. O encerramento do Google+ nos relembra que estes canais também são vulneráveis e sujeitos a mudanças repentinas. As regras podem mudar a qualquer momento como ocorreu recentemente com o Facebook, que restringiu a distribuição não paga do conteúdo de páginas corporativas.

Por essas e outras é importante investir na reputação de seu próprio domínio hospedando e organizando a sua comunicação online em seu próprio site ou blog - para que seu público reconheça sua casa, seus valores e sinta-se à vontade para retornar quando quiser, independente da vontade de outras marcas e plataformas.

Tiago Otani
Profissional

Faz ótimas perguntas e fornece respostas brilhantes.

I help Content and Marketing Managers streamline their processes related to Content (Planning, Creating, Distributing and Analysing) through our all-in-one Content Management Platform.
Compartilhar esta postagem
or

Comentários

2000
Tiago Otani
Profissional

Faz ótimas perguntas e fornece respostas brilhantes.

Link para quem quiser se aprofundar na metodologia de Topic Clusters: http://blog.contentools.com.br/marketing-de-conteudo/topic-clusters/

Enviar feedback

Your feedback must contain at least 3 words (10 characters).

Só vamos utilizar este email para te enviar a resposta para o seu feedback. Política de Privacidade

Thank you for your feedback!